Em mercados / politica

Bolsonaro convoca população a usar verde e amarelo no 7 de setembro

Presidente pede mobilização dos brasileiros em defesa da Amazônia e volta a fazer críticas ao homólogo francês Emmanuel Macron

Jair Bolsonaro
(Antonio Cruz /Agência Brasil)

SÃO PAULO - O presidente Jair Bolsonaro (PSL) convocou, nesta terça-feira (3), a população brasileira a sair às ruas no dia 7 de setembro, feriado em que se comemora o Dia da Independência, vestindo verde e amarelo, como uma demonstração de que "a Amazônia é nossa".

O mandatário lembrou da experiência do ex-presidente Fernando Collor, que também fez apelo semelhante, mas foi surpreendido por um protesto ao seu governo, com manifestantes usando peças pretas em várias cidades do País. Bolsonaro disse que a história não se repetirá, por não se tratar de defesa sua ou de seu governo.

"A gente apela para quem está nos ouvindo, para quem está em Brasília, quem por ventura estiver no Rio de Janeiro, em São Paulo, que compareça de verde e amarelo. Eu lembro que lá atrás um presidente falou isso e se deu mal. Mas não é o nosso caso. Nosso caso é o Brasil. Não é para me defender, ou defender quem quer que seja. É para mostrar para o mundo que aqui é o Brasil. Que a Amazônia é nossa", afirmou.

O apelo do presidente foi feito durante cerimônia de lançamento da "Semana do Brasil" – uma campanha para incentivar o consumo com descontos no varejo entre os dias 6 e 15 de setembro – no Palácio do Planalto. Segundo o governo, mais de 4 mil empresas decidiram aderir à campanha.

Quer saber o que esperar da política nos próximos meses? Insira seu e-mail abaixo e receba, com exclusividade, o Barômetro do Poder - um resumo das projeções dos principais analistas políticos do país:

Em seu discurso, Bolsonaro aproveitou para fazer uma crítica indireta ao presidente francês, Emmanuel Macron, que defendeu um debate sobre a internacionalização da Amazônia.

"Um presidente lá do outro lado do Atlântico resolveu falar uma coisa que tocou a todos nós, falar em soberania relativa. Mexeu conosco: nós, brasileiros, e com os demais países da região amazônica. Isso serviu para acordar muita gente no Brasil que nem sabia o que era Amazônia.

 

Contato