Em mercados / politica

Planalto: preocupação é aprovar reforma da Previdência o mais rápido possível

Porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros deu sinais de que o presidente Jair Bolsonaro não vai mais tentar interferir na tramitação e que caberá ao Legislativo fazer eventuais modificações no texto

Jair Bolsonaro
(Agência Brasil)

Do Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro acompanhou com otimismo as negociações pela votação da Reforma da Previdência ao longo de todo o dia de ontem, mas admitiu a possibilidade de os deputados desconsiderarem seu pedido para suavizar regras para policiais federais e rodoviários no Plenário da Câmara.

Para viabilizar a proposta, o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, deu sinais de que o presidente não vai mais tentar interferir na tramitação e que caberá ao Legislativo fazer eventuais modificações no texto. O porta-voz também fez novo aceno ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que busca protagonismo. Na semana passada, Bolsonaro chegou a ligar diretamente para parlamentares antes da votação da proposta na Comissão Especial.

"O presidente tem suas percepções pessoais, partidas do poder Executivo, mas no momento entende que a Câmara de Deputadas, liderada, capitaneada pelo deputado Rodrigo Maia, há de entender essas percepções e, a partir desse entendimento, se estiver alinhado com o presidente, há de fazer grandes ou pequenas modificações", disse o porta-voz.

Em outro momento, Rêgo Barro frisou que Bolsonaro gostaria de ratificar a importância dos órgãos de segurança pública, mas que "também entende que o Congresso tem neste momento o condão para decidir o que é melhor sob o ponto de vista da casa que legisla para que a nova previdência seja o mais rápido possível aprovada".

Durante coletiva de imprensa, nesta segunda, o porta-voz deixou claro mais de uma vez que a prioridade do presidente é conseguir a aprovação do texto o mais rápido possível e que o teor deve ser positivo para a sociedade como um todo. "O importante é que nós tenhamos uma Previdência que esteja adequada aos anseios de todos as sociedade."

Segundo Rêgo Barros, Bolsonaro foi informado, ontem pela manhã, que Maia "está esperançoso" de que o pleito será concluído nos dois turnos ainda nesta semana, antes do recesso parlamentar. "É sinal de que os esforços conjuntos do Executivo e Legislativo estão se mostrando adequados", ressaltou o porta-voz sobre a avaliação de Maia.

Guedes

O ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) atualizou o presidente em diferentes momentos nesta segunda-feira. Pela manhã, eles conversaram após reunião de Onyx com o ministro da Economia, Paulo Guedes, da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e o secretário especial da Previdência, Rogério Marinho. Depois, o ministro da Casa Civil voltou a procurar Bolsonaro após um encontro com Maia e líderes parlamentares na Residência Oficial da Presidência da Câmara.

Ainda de acordo com o porta-voz, Bolsonaro também teve uma reunião com Luiz Eduardo Ramos, para melhorar o relacionamento com parlamentares. O objetivo, disse Rêgo Barros, é "aproximar membros do congresso nesse relacionamento com o presidente Jair Bolsonaro".

Sobre a possibilidade de o Planalto liberar emendas parlamentares esta semana, o porta-voz disse que os ministros Ramos e Lorenzoni "trabalham para, dentro da legalidade, atender determinadas necessidades dos parlamentares, aquilo que entendemos como emendas impositivas". Ele não soube informar qual valor seria liberado.

Quer investir nos melhores fundos de previdência? Abra uma conta gratuita na XP

 

Contato