Em mercados / politica

STF deve analisar o pedido de soltura de Lula por suspeição de Moro no dia 25

Supremo julgará se ex-presidente pode ficar livre após o vazamento de mensagens comprometedoras do ministro da Justiça

Lula
(Shutterstock)

SÃO PAULO - A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar no dia 25 um habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por argumentos de que o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, era parcial e não poderia ter julgado o caso. 

O caso foi liberado para julgamento pelo ministro Gilmar Mendes após o vazamento de mensagens trocadas entre Moro e o procurador da força-tarefa da Lava-Jato, Deltan Dallagnol. As informações divulgadas pelo site The Intercept envolvem uma sugestão de Moro para que se invertessem duas fases da Operação e também que se reduzissem os intervalos entre uma ação e outra da Polícia Federal. 

Embora haja suspeitas de que o Intercept tenha obtido essas informações de modo ilegal, principalmente porque o ministro da Justiça sofreu um ataque hacker em seu celular recentemente, a divulgação é potencialmente explosiva. As conversas entre Moro e Dallagnol revelam uma proximidade entre juiz e procurador que muitos juristas consideram perigosa, pois o juiz deve ser isento.

O julgamento da suspeição de Moro no caso da condenação que Lula sofreu pelo recebimento de vantagens ilícitas da OAS na aquisição de um triplex no Guarujá (SP) não será julgado esta semana ainda.

Nesta terça-feira (11), o plenário do STF julgará um pedido que questiona a atuação do relator da Lava-Jato no Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Felix Fischer.  

Insira seu email abaixo e receba com exclusividade o Barômetro do Poder, um estudo mensal do InfoMoney com avaliações e projeções das principais casas de análise política do país:

 

Contato