Em mercados / politica

Justiça autoriza quebra de sigilo de Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz

A decisão, de autoria do juiz Flávio Nicolau, atende a pedido feito pelo Ministério Público do Rio

Flávio Bolsonaro
( Wilson Dias/Agência Brasil)

SÃO PAULO - O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro autorizou a quebra do sigilo do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, e do ex-policial militar Fabrício Queiroz, que trabalhava em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio. As informações são do site do jornal O Globo.

A decisão, de autoria do juiz Flávio Nicolau, atende a pedido feito pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, autorizado em 24 de abril e mantido em sigilo até o momento. Também terão informações bancárias averiguadas a esposa do parlamentar, Fernanda Bolsonaro, a empresa do casal, Bolsotini Chocolates e Café Ltda, as duas filhas de Queiroz, Nathalia e Evelyn, e a esposa do ex-assessor e motorista, Marcia.

Segundo a reportagem, a quebra de sigilo foi autorizada no período entre janeiro de 2007 e dezembro de 2018. Também foi autorizada a quebra do sigilo fiscal dos investigados entre 2008 e 2018. A decisão se estende a outros 88 ex-funcionários do gabinete do pesselista, seus familiares e empresas relacionadas a eles.

Em entrevista concedida ao jornal O Estado de S.Paulo no domingo, Flávio Bolsonaro chamou a investigação de "ilegal" e disse que a iniciativa tem por objetivo atacar seu pai. Segundo ele, a quebra dos sigilos fiscais e bancários dele e de Queiroz serve para "dar um verniz de legalidade naquilo que já está contaminado".

Insira seu e-mail abaixo e receba com exclusividade o Barômetro do Poder, um estudo mensal do InfoMoney com avaliações e projeções das principais casas de análise política do país:

 

Contato