Em mercados / politica

Bolsonaro aceita debater com Haddad "sem interferência externa" (de Lula)

"Não adianta você ter boas propostas, como ele deve ter boas propostas, mas que após uma possível eleição não serão colocadas em prática por que quem vai escalar o time é o Lula", afirmou

Jair Bolsonaro
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Durante a gravação do seu programa eleitoral na casa do empresário Paulo Marino, localizada no Rio de Janeiro, o candidato à Presidência do PSL, Jair Bolsonaro, afirmou que aceita debater com seu adversário, Fernando Haddad (PT), desde que não houvesse "interferência externa", fazendo referência as constantes visitas do candidato petista ao ex-presidente Lula, que está preso em Curitiba.

"Se for debate só eu e ele [Haddad], sem interferência externa [de Lula], eu estou pronto para comparecer. Não adianta você ter boas propostas, como ele deve ter boas propostas, mas que após uma possível eleição não serão colocadas em prática por que quem vai escalar o time é o Lula", afirmou Bolsonaro.

Sobre a grande probabilidade de vitória no segundo turno, conforme as últimas pesquisas de intenção de votos, o candidato do PSL afirmou que não tem obsessão pelo poder e quem vai decidir será o povo, "que já conhece o PT e viu o estrago que eles fizeram no Brasil ao longo de 13 anos". O candidato reforçou que seu time de ministros não terá indicações políticas e completou: "o mais importante é ter independência para escalar um time de ministros competentes".

 

Contato