Em mercados / politica

Bolsonaro deseja "boa sorte" para Doria e diz que França tem "apoio velado do PT"

Candidato do PSL agradeceu o apoio do tucano, mas disse que ficará neutro nas disputas estaduais

Bolsonaro Doria

SÃO PAULO - Depois do "chá de cadeira" no candidato do PSDB ao governo de São Paulo, João Doria, Jair Bolsonaro concedeu uma breve entrevista na manhã deste sábado (13) para esclarecer o assunto. O candidato à Presidência pelo PSL afirmou que não sabia do encontro com o tucano, mas mesmo assim agradeceu o apoio de Doria e desejou boa sorte na disputada contra o Márcio França, candidato do PSB que na sua visão "tem o apoio velado do PT".

A hora de investir na Bolsa é agora: abra sua conta na Clear com taxa ZERO de corretagem!

"Eu sei que ele é uma oposição ao PT. Somos uma oposição ao PT. E sei que o outro lado, o França, tem o apoio velado do PT. Então no momento eu desejo boa sorte ao Dória", afirmou. Apesar da declaração, Bolsonaro ressaltou que permanecerá neutro em todas as disputas estaduais, a não ser nos casos em que o PSL tem candidato próprio.

Quando questionado mais uma vez sobre não comparecer ao encontro com Doria na noite da última sexta-feira (12), Bolsonaro justificou: "eu não havia combinado, eu não sei quem combinou isso aqui. Eu encontro com ele sem problema nenhum, bato papo sem problema nenhum", disse o candidato do PSL. O tucano foi ao Rio em busca de um encontro com Bolsonaro para gravar um vídeo com manifestações mútuas de apoio, reunião que aconteceria na casa do empresário Paulo Marinho, um dos apoiadores do capitão reformado.

No entanto, o candidato do PSL alegou que estava indisposto e não compareceu, segundo confirmou o presidente do próprio partido, Gustavo Bebianno. No final das contas, após a reunião, Doria postou um vídeo nas redes sociais ao lado de Joice Hasselmann (PSL) e do economista Paulo Guedes, com ambos declarando apoio ao tucano.

 

Contato