Em mercados / politica

Ibope sugere disputa dura entre Haddad e Bolsonaro no 2º turno e sufoca estratégias de Ciro e Alckmin

E isso pode ter um efeito: a perspectiva de que o candidato do PSL não terá vida fácil contra o petista no segundo turno deve intensificar o apelo para que eleitores de candidatos rivais mudem seu voto até domingo

Fernando Haddad e Jair Bolsonaro
(Reprodução)

A pesquisa Ibope divulgada na quarta-feira traz como principal informação o fato da trajetória de crescimento de Jair Bolsonaro (PSL) ter perdido intensidade – ele oscilou positivamente de 31% para 32%, ante um crescimento de 4 pontos percentuais entre as duas pesquisas anteriores, quando foi de 27% para 31%. Com a inclinação menor de sua curva de crescimento, ficam maiores as dificuldades para que ele consiga a vitória já no primeiro turno – principal ponto de atenção na reta final da campanha.

Importante notar também que, apesar do salto de 11 pontos na rejeição de Fernando Haddad na pesquisa anterior, o candidato petista oscilou positivamente no cenário de primeiro turno, de 21% para 23%.

O principal cenário de segundo turno, em que Haddad e Bolsonaro se mantêm empatados (mas agora com o petista numericamente à frente), também é relevante. Além de projetar uma disputa acirrada a partir de 8 de outubro, a perspectiva de que o candidato do PSL não terá vida fácil contra o petista no segundo turno deve intensificar o apelo para que eleitores de candidatos rivais mudem seu voto até domingo.

Ainda assim, para ser vitorioso no primeiro turno, seria necessária agora a conversão de 78% dos votos de Alckmin, Amoedo, Alvaro e Meirelles ou de 59% dos quatro mais Marina Silva – ou seja, há um caminho difícil de ser atravessado.

A estagnação dos candidatos do segundo pelotão e a maior distância deles para os dois líderes também sufocam as possibilidades de êxito de estratégias de voto útil para Ciro Gomes ou Geraldo Alckmin.

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!

 

Contato