Em mercados / politica

Lacrou: economistas "tretam" no Twitter e ex-ministro da Fazenda de Dilma leva a pior

Debate sobre a proposta de Bolsonaro sobre Imposto de Renda único levou a uma grande discussão nas redes sociais

Dilma Rousseff e Nelson Barbosa
( Lula Marques/Agência PT)

SÃO PAULO - O extremismo da campanha eleitoral deste ano está perdendo o controle e agora economistas estão perdendo a linha nas redes sociais por causa de análises sobre propostas dos candidatos à presidência, em especial a de Jair Bolsonaro (PSL).

Nesta terça-feira (25), Nelson Barbosa, ex-ministro da Fazenda de Dilma Rousseff, decidiu compartilhar no Twitter um texto do economista Carlos Góes, do site Mercado Popular (leia na íntegra clicando aqui), chamando ele de ex-defensor de Michel Temer e que hoje estaria "Bolsonando", apesar de ser claramente apoiador de Marina Silva.

A resposta veio forte: "ministro, não esperava uma cretinice dessa de você", retrucou Góes. O economista afirmou que fez uma análise objetiva da proposta de Bolsonaro e diz que quando usa o "chapéu de economista" ele não está fazendo torcida política. "Coloco minha ojeriza pelo Bozo de lado. se você não consegue entender isso, isso diz mais sobre você do que sobre mim", completou.

Veja a discussão:

Góes ainda lembrou que em 2015 ele elogiou o próprio Barbosa quando ele defendia o ajuste fiscal. "Eu estava 'petistando'?", questionou no Twitter. "Ao agir dessa forma, impedindo que eu possa fazer elogio pontual a quem discordante (seja você ou seja o Bozo), você só está contribuindo para a radicalização do país. Que pena", completa o economista.

E a "treta" foi longe. Alexandre Schwartsman, economista e ex-diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central, também respondeu, dizendo para Góes que ele precisava entender o Barbosa: "Ele acabou de fazer um movimento de se distanciar do Pinochmann [referência a Marcio Pochmann, economista do PT] para tentar se cacifar a novos voos [...] Para ele nenhuma proposição é sagrada; apenas um trampolim para eventuais carguinhos. E acha que todos são mau-caráter deste jeito".

Na sequência, o nível da discussão melhora um pouco e Barbosa responde alguns outros comentários recebidos detalhando melhor sua opinião sobre porque criticou o texto de Góes. O economista, por sua vez, também rebate alguns argumentos de forma mais civilizada e justifica sua análise positiva da proposta para Imposto de Renda de Bolsonaro.

No fim de semana, Carlos Góes publicou um texto em que analisa e rebate as opiniões de que a proposta de Paulo Guedes, futuro ministro da Fazenda de Bolsonaro, de um Imposto de Renda único acabaria favorecendo os mais ricos. Segundo ele, a proposta teria o efeito contrário do que todos estão achando e faria exatamente a classe mais alta da sociedade pagar mais impostos.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

 

Contato