Em mercados / politica

Para reduzir riscos, Bolsonaro pede que Mourão e Paulo Guedes diminuam atividades de campanha

Segundo o Broadcast, o candidato pediu que os dois evitassem novas declarações após polêmicas nos últimos dias

Jair Bolsonaro
(Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil )

SÃO PAULO - Diante de ruídos e um "alerta" de problemas na campanha, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) pediu para seu vice, general Hamilton Mourão (PRTB), e seu futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes, reduzam suas atividades após falas "desastradas" que estão gerando polêmica dentro da chapa. As informações são do Broadcast.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

De acordo com o serviço de notícias do grupo Estado, Bolsonaro recebeu uma visita de seu vice no hospital Albert Einstein, em que ele aproveitou para pedir que Mourão suspendesse sua agenda de viagens. O deputado avalia que a campanha entrou em um momento decisivo e que não pode correr mais riscos.

Já no caso de Paulo Guedes, o "posto Ipiranga" do candidato, a resposta veio no Twitter, onde Bolsonaro praticamente proibiu o economista de apresentar propostas. "Nossa equipe econômica trabalha para redução de carga tributária, desburocratização e desregulamentações. Chega de impostos é o nosso lema!", escreveu hoje de manhã.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, Guedes disse a uma plateia restrita em uma gestora independente que pretende recriar um imposto com as mesmas características da famigerada CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira).

Além disso, ele sugeriu a criação de uma alíquota única do IR (Imposto de Renda) de 20% para pessoas físicas e jurídicas, aplicando a mesma taxação na tributação da distribuição de lucros e dividendos. Os dois "anúncios" vão na contramão do que defende Bolsonaro.

Leia também: 
"Por que votar em Geraldo Alckmin", por Andre Lichtenstein
- "Por que votar em Jair Bolsonaro", por André Gordon
- "Por que votar em Henrique Meirelles", por Jason Vieira
"Por que votar em João Amoêdo", por Pablo Spyer

Já o vice Mourão sugeriu na semana passada uma reforma na Constituição, criando um novo texto que não fosse feito por políticos eleitos. Na última segunda, ele também afirmou que famílias pobres "sem pai e avô, mas com mãe e avó" são "fábricas de desajustados" que fornecem mão de obra ao narcotráfico.

 

Contato