Em mercados / politica

CNT/MDA: Bolsonaro lidera com 28,2% e Haddad abre 7 pontos de vantagem sobre Ciro Gomes

mais informações em breve

Candidatos
(Reprodução)

SÃO PAULO - A 20 dias do primeiro turno, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) mantém a liderança da corrida presidencial. Segundo levantamento CNT/MDA, divulgado nesta segunda-feira (17), Bolsonaro tem 28,2% das intenções de voto no cenário estimulado. O parlamentar é seguido pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), que tem 17,6% e já não mais está tecnicamente empatado com Ciro Gomes (PDT), que tem 10,8%. A margem máxima de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais.

Em terceiro lugar, tecnicamente empatados, aparecem o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), com 6,1% das intenções de voto; a ex-senadora Marina Silva (Rede), com 4,1%; e o empresário João Amoêdo (Novo), com 2,8%. O senador Álvaro Dias (Podemos) tem 1,9%, acompanhado pelo ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB), com 1,7% das intenções de voto.

O deputado Cabo Daciolo (Patriota) e o historiador Guilherme Boulos (PSOL) têm 0,4% das intenções de voto cada. Já Vera Lúcia (PSTU) aparece com 0,3%. José Maria Eymael (DC) e João Goulart Filho (PPL) não pontuaram. O grupo de brancos, nulos e indecisos soma 15,7% do eleitorado.

Leia mais: Bolsonaro sobe para 33% dos votos; Haddad salta para 16% e empata com Ciro em 2º, mostra pesquisa

No cenário espontâneo, quando os eleitores dizem em quem pretendem votar sem que lhes sejam apresentados nomes de candidatos, Bolsonaro tem 23,7% das intenções de voto, seguido por Haddad, com 9,1%. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é citado por 7,5%, mesmo duas semanas após ter seu pedido de registro de candidatura negado pelo pleno do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Preso há cinco meses após ser condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em segunda instância, ele foi oficialmente substituído por Haddad na última terça-feira (11).

Ainda no cenário espontâneo, Ciro Gomes é citado por 6,3% dos entrevistados, seguido por Alckmin, com 2,8%; João Amoêdo, com 1,8%; e Marina Silva, com 1,7%. Álvaro Dias é lembrado por 0,9% dos eleitores. O grupo de brancos, nulos e indecisos nesta situação chega a 45,2% do eleitorado.

A 138ª pesquisa CNT/MDA foi realizada entre 12 e 15 de setembro e contou com 2.002 entrevistas em 137 municípios de 25 unidades da federação. A margem de erro máxima é de 2,2 pontos percentuais e o nível de confiança, de 95%. Isso significa que se o questionário fosse aplicado mais de uma vez no mesmo período e sob mesmas condições, esta seria a chance de o resultado se repetir dentro da margem de erro. O levantamento está registrado no TSE com o código BR-04362/2018.

Quer proteger seus investimentos das incertezas das eleições? Clique aqui e abra sua conta na XP Investimentos

Rejeição

A candidata da Rede, Marina Silva, aparece como a candidata com maior rejeição, de 57,5%, sendo seguida de perto por Geraldo Alckmin, com 53,4%, e por Bolsonaro, com 51% apontando que não votaria no nome do PSL de jeito nenhum. Contudo, 23% apontam que o deputado seria o único nome em quem votariam.

Meirelles tem 49% de rejeição e Haddad aparece em seguida, com rejeição de 47,1%. 38,1% disseram que não votariam de jeito nenhum em Ciro Gomes, enquanto a rejeição de Amoêdo é de 34,5% e a de Alvaro Dias é de 32,2%. 

 

Contato