Em mercados / politica

Bolsonaro lidera com 24% em cenário sem Lula, aponta pesquisa; Marina possui 15% dos votos

Geraldo Alckmin (PSDB) tem 9% dos votos, seguido por Ciro Gomes (PDT) com 8% e Fernando Haddad (PT) com 5%, diz levantamento FSB/BTG Pactual

Jair Bolsonaro e Marina Silva
(Reprodução/Youtube - RedeTV!)

SÃO PAULO - Pesquisa feita para o BTG Pactual pelo instituto FSB com 2.000 entrevistados em todo o Brasil foi divulgada nesta segunda-feira (27) e mostrou o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) na liderança das intenções de voto em um cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

Bolsonaro possui 24% das intenções de voto, sendo seguido por Marina Silva (Rede), que conta com 15%. Geraldo Alckmin (PSDB) tem 9% dos votos, seguido por Ciro Gomes (PDT) com 8% e o provável substituto de Lula na disputa, Fernando Haddad (PT). O ex-prefeito de São Paulo tem 5% das intenções de voto. João Amoêdo (Novo) tem 4%, Alvaro Dias (PODE) tem 3%, enquanto Henrique Meirelles (MDB), Guilherme Boulos (PSOL) e Cabo Daciolo (PATRI) possuem 1%. 2% dizem votar nos outros candidatos, 18% disseram que não votarão em ninguém, 5% em brancos/nulos, 4% não souberam e 1% não respondeu. 

Na intenção de voto espontânea, Lula aparece com 26%, sendo seguido por Bolsonaro com 19%, Amoêdo com 3%, enquanto Alckmin, Marina e Ciro têm 2% e Alvaro Dias possui 1%. Na intenção de voto estimulada com Lula, o petista possui 35% dos votos, Bolsonaro aparece com 22%, Marina tem 9%, Alckmin possui 6% e Ciro tem 5% das intenções de voto. Amoêdo possui 4% dos votos, Dias tem 2%, enquanto Meirelles e Boulos possuem 1%. 

Ao fazer um cruzamento entre quem vota em Lula com a mudança de voto com um cenário sem o petista, a pesquisa mostra que a maior transferência de votos se dá para Marina Silva, com 17%, enquanto Haddad aparece com 12%. Bolsonaro, Alckmin e Ciro aparecem empatados com 9%. Alvaro Dias, Boulos e Meirelles aparecem com 1%.

Ao serem perguntados sobre a influência do apoio de Lula a Haddad, 18% disseram que votariam com certeza se o ex-presidente petista apoiasse o nome, 13% disseram que poderiam votar e 64% afirmaram que não votariam de jeito nenhum. 5% não souberam opinar ou não responderam. 

O levantamento foi registrado no TSE com o número BR-06062/2018 e será divulgado oficialmente no início da tarde desta segunda-feira para clientes do banco. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e as entrevistas foram feitas por telefone entre sexta-feira e sábado. 

Quer investir pagando apenas R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear.

 

Contato