Em mercados / politica

Bolsonaro atinge sua máxima histórica, Marina Silva desidrata e Ciro Gomes assume o 2º lugar, mostra pesquisa

Levantamento DataPoder360 foi realizado entre os dias 25 e 31 de maio

Jair Bolsonaro
(Wilson Dias/ Agência Brasil )

SÃO PAULO - No auge da greve dos caminhoneiros, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) atingiu seu maior patamar já registrado na série histórica das pesquisas presidenciais realizadas pelo instituto DataPoder360. Segundo o mais recente levantamento, feito entre os dias 25 e 31 de maio e divulgado na noite da última segunda-feira (4), o parlamentar tem entre 21% e 25% das intenções de voto, dependendo do cenário considerado.

Quer saber mais sobre o cenário político e como se aproveitar dele? Conheça o Mapa Político

A pesquisa contou com 10.500 entrevistas por meio de telefones fixos e celulares, com abrangência em 349 cidades em todas as regiões do país. A margem de erro máxima é de 1,8 ponto percentual, para cima ou para baixo. O registro do estudo no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR-09186/2018. Para o primeiro turno da disputa presidencial, a pesquisa considerou três cenários. Em dois, foram incluídos apenas os pré-candidatos que já pontuam acima de 5% em todos os levantamentos. Em nenhum deles a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é avaliada. O líder petista deve ficar fora da disputa, em função de um enquadramento na Lei da Ficha Limpa, após ter condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro confirmada em segunda instância.

Pela primeira vez no ano, o levantamento testou o nome de João Doria, ex-prefeito de São Paulo, para a corrida presidencial. O desempenho do tucano, contudo, veio em patamares similares aos do ex-governador paulista Geraldo Alckmin, pré-candidato pelo PSDB: 6%. Com isso, diminui a sombra dentro do partido sobre Alckmin, que tem entre 6% e 7% das intenções de voto -- patamar ainda desconfortável para os tucanos a quatro meses das eleições.

Atrás de Bolsonaro, aparece o nome do ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT), com entre 11% e 12% das intenções de voto. Já a ex-senadora Marina Silva (REDE) apresentou uma desidratação nesta sondagem, com entre 6% e 7%, tecnicamente empatada com o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad -- nome testado para o PT --, com algo entre 6% e 8% dos votos, dependendo do cenário observado. O senador Álvaro Dias (Podemos) tem entre 5% e 6%, seguido por Manuela D'Ávila (PCdoB), com 2%. Com 1% das intenções de voto aparecem Fernando Collor (PTC), Flávio Rocha (PRB), Henrique Meirelles (MDB) e Rodrigo Maia (DEM). Os pré-candidatos Guilherme Afif (PSD), Guilherme Boulos (PSOL), João Amoêdo (NOVO) e Paula Rabello (PSC) não pontuaram.

Outro destaque da pesquisa é o número de pessoas que dizem escolher votar em branco, nulo ou que ainda não sabem em quem votar. O percentual dessas categorias varia de 36% a 40%.

Foram testados também quatro cenários possíveis de segundo turno. Em todos, Jair Bolsonaro vence com vantagem de 10 pontos percentuais ou mais contra seus adversários: 34% a 21% contra Ciro Gomes; 35% a 25% contra Marina Silva; 35% a 20% contra Fernando Haddad; e 31% a 20% contra Geraldo Alckmin.O "não voto" nas simulações soma de 41% a 48%, dependendo do cenário.

A pesquisa DataPoder360 também indagou sobre a certeza da decisão dos entrevistados. Para 49%, o voto presidencial está decidido. Outra metade se divide em 25% que dizem ainda poder mudar de opinião e 26% que ainda não escolheram candidato ou não quiseram responder.

Quer saber mais sobre o cenário político e como se aproveitar dele? Conheça o Mapa Político

 

Contato