Em mercados / politica

PT entra com pedido no TSE para suspender divulgação de pesquisa Datafolha

Em suas alegações, o partido sustenta que o questionário aplicado "exibe pelo menos sete perguntas que causam danos" à legenda e ao pré-candidato Lula

Lula
(José Cruz/Agência Brasil)

SÃO PAULO - O PT entrou, nesta terça-feira (13), com representação no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pedindo a impugnação de uma pesquisa realizada pelo instituto Datafolha, com divulgação prevista para o próximo domingo (15).

Em suas alegações, o partido sustenta que o questionário aplicado "exibe pelo menos sete perguntas que causam danos" à legenda e ao seu pré-candidato ao Palácio do Planalto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde o último sábado em Curitiba (PR) por condenação no caso de um apartamento tríplex no Guarujá (SP).

No pedido, o PT reclama que o nome de Lula é considerado em apenas três dos nove cenários apresentados pelo Datafolha, sendo que o primeiro deles seria apenas no terceiro. Com isso, o partido diz que os entrevistados são "induzidos a perceber sua pré-candidatura como uma hipótese remota e distante, contrariando o fato concreto de que sua pré-candidatura está consolidada".

Por outro lado, eles ressaltam que, em pergunta seguinte, sobre a rejeição aos nomes postos, Lula a candidatura de Lula é considerada. Os advogados do partido também questionam duas perguntas da pesquisa que, segundo eles, visam "influenciar entrevistados na false ideia de inelegibilidade do ex-presidente".

A pesquisa Datafolha está registrada no TSE pelo código BR-08510/2018 e foi realizada entre os dias 11 e 13 de abril. O levantamento teve valor de R$ 398.344,00 e contou com uma amostra de 4.260 entrevistas em um total de 227 municípios.

A sondagem é a primeira realizada pelo instituto após a prisão de Lula e ao final da janela de migrações partidárias e o prazo de desincompatibilização para alguns nomes que desejavam se candidatar à presidência.

 

Contato