Em mercados / politica

Lula é o político mais bem avaliado do Brasil, diz pesquisa; Moro e Barbosa são os mais populares

Segundo a pesquisa, a aprovação de Lula melhorou em todas as regiões e classes sociais e, na abertura por nível de escolaridade, só não cresceu entre os entrevistados com ensino superior

Lula
( Lula Marques/ Agência PT)

SÃO PAULO - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o político com maior aprovação do País (38%), segundo pesquisa Ipsos divulgada nesta quinta-feira (30). O petista, no entanto, tem um elevado grau de rejeição (59%).

Na lista de personalidades do meio político e jurídico mais populares entre os brasileiros, Lula fica atrás apenas do juiz Sérgio Moro, que lidera com 63% de aprovação, seguido pelo ex-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, que é bem avaliado por 51% dos entrevistados.

Segundo a pesquisa, a aprovação de Lula melhorou em todas as regiões e classes sociais e, na abertura por nível de escolaridade, só não cresceu entre os entrevistados com ensino superior. Segundo Danilo Cersosimo, diretor da Ipsos, "em um contexto no qual praticamente todos os políticos são vistos como mais do mesmo, Lula tem a seu favor o fato de ter sido presidente e de ter deixado um legado para uma parcela da população, que vem avaliando sua imagem de maneira positiva".

Na outra ponta, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) é o político mais rejeito, com 87% de desaprovação, seguido pelo senador Renan Calheiros (PMDB-AL), com 83%, e pelo presidente Michel Temer, com 78%. A ex-presidente Dilma Rouseff (PT-RS) e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) aparecem logo em seguida, com 74% de rejeição.

Governo Temer
O levantamento revela ainda que um em cada três brasileiros (33%) não tem nenhuma expectativa para o futuro em relação ao governo de Michel Temer e que 90% dos entrevistados avaliam que o Brasil está no rumo errado.

O levantamento mostra também uma piora na avaliação do governo federal, com o índice de respostas "ruim ou péssimo" avançando de 59%, em fevereiro, para 62% em março. A avaliação do presidente Michel Temer se manteve estável, com 78% de desaprovação. 

Segundo Cersosimo, os resultados da pesquisa sugerem que a agenda do governo Temer tem sido encarada de maneira muito mais negativa do que positiva. "Nossas pesquisas mostram que a pauta de reformas vem gerando muitas dúvidas e inseguranças e podem ter um peso maior na avaliação do governo em detrimento a ações como a liberação das contas do FGTS”, afirmou.

Rejeição
Entre outros nomes do mundo político e jurídico com maiores rejeições estão José Serra (70%), Geraldo Alckmin (67%), Marina Silva (62%), Rodrigo Maia (57%), Romero Jucá (55%), Ciro Gomes (55%), Jeans Wyllys (53%), Henrique Meirelles (52%), Jair Bolsonaro (52%), Marcelo Crivella (51%), Roberto Justus (49%), Rodrigo Janot (48%), Paulos Skaf (46%), Alexandre de Moraes (46%), João Dória (45%) e Carmem Lúcia (38%).

 Metodologia
 A pesquisa Pulso Brasil, da Ipsos, foi realizada entre o dias 1 e 15 de março. O estudo da Ipsos contou com 1200 entrevistas presenciais em 72 municípios brasileiros. A margem de erro é de 3 pontos percentuais.

 

Contato