Em mercados / politica

MPE pede cassação de Temer e inelegibilidade de Dilma, afirma jornal

Contudo, se os ministros do TSE seguirem o entendimento da PGE - ou seja, cassarem Temer, mas o deixarem elegível -, ele poderia concorrer numa eleição indireta

Dilma Rousseff e Michel Temer
(Lula Marques/ Agência PT)

SÃO PAULO - Segundo fontes ouvidas pelo jornal O Estado de S. Paulo, o MPE (Ministério Público Eleitoral) pediu ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) a cassação do presidente Michel Temer (PMDB) e a inelegibilidade da presidente cassada Dilma Rousseff (PT). A manifestação da PGE (Procuradoria-Geral Eleitoral), mantida sob sigilo, foi encaminhada na noite desta terça-feira (28) ao TSE.

O presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, anunciou nesta terça-feira que a chapa Dilma-Temer começará a ser julgada na manhã da próxima terça-feira (4).  Ele informou ainda que os ministros da Corte concordaram em reservar quatro sessões para julgar o caso. Além da sessão da manhã de terça, no mesmo dia haverá uma outra sessão, à noite, a partir das 19h. Pelo cronograma anunciado por Gilmar, haverá, ainda, uma sessão extraordinária na noite de quarta, enquanto na sessão semanal de quinta, pela manhã, os ministros devem concluir o julgamento.

Segundo o jornal, se os ministros do TSE seguirem o entendimento da PGE - ou seja, cassarem Temer, mas o deixarem elegível -, ele poderia concorrer numa eleição indireta. Procurada pela reportagem, a defesa de Temer informou que só se manifestará sobre o parecer no julgamento. A defesa de Dilma não se manifestou. 

O TSE apura desde 2015, a pedido do PSDB, se a chapa formada por Dilma Rousseff e Michel Temer na eleição presidencial de 2014 cometeu abuso de poder político e econômico, recebeu dinheiro de propina e se beneficou do esquema de corrupção que atuou na Petrobras.

 

 

Contato