Em mercados / politica

Deputada contra o "Brexit" é assassinada e campanha é suspensa no Reino Unido

Campanha pelo referendo é paralisada por conta de atentado á vida de deputada britânica

Jo Cox
(Reprodução/Facebook)

SÃO PAULO - A deputada britânica do Partido Trabalhista, Jo Cox, faleceu na tarde desta quinta-feira (16) após sofrer um atentado na cidade de Birstall, no seu distrito eleitoral em West Yorkshire, norte da Inglaterra. Após o ataque, as campanhas contra e a favor do "Brexit" foram suspensas até amanhã.

A polícia britânica confirmou a morte da parlamentar e disse que não pode discutir os prováveis motivos para o ataque. Uma pessoa foi ferida e presa, e a polícia diz que não procura outros suspeitos. A parlamentar era partidária da permanência do Reino Unido na União Europeia. Segundo vários meios de comunicação internacionais, o agressor gritou "Reino Unido primeiro!", um lema da ultradireita britânica.

As informações são de que ela foi esfaqueada e baleada pelo agressor. As autoridades disseram em uma conferência de imprensa que eles estão conduzindo uma "investigação significativa e abrangente" sobre o caso, ouvindo diversas testemunhas para obter mais informações.

As autoridades policiais acreditam que este tenha sido um ataque isolado. As armas usadas no crime foram recuperadas, mas a motivação continua desconhecida. O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, afirmou que está chocado pelo "horrível assassinato".

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, publicou palavras de pesar em sua conta no Twitter: "A morte de Jo Cox é uma tragédia. Ela era uma parlamentar comprometida e carinhosa. Meus pensamentos estão com seu marido Brendan e seus dois jovens filhos."

 

Contato