Em mercados / politica

Família de Cerveró recebeu R$ 250 mil por interferência de Lula, afirma Delcídio

De acordo com o senador, a família de Cerveró o chantageou e ele foi explorado para benefícios de terceiros

Delcídio Amaral
(Geraldo Magela/ Agência Senado (18/08/2015))

SÃO PAULO - Em suas alegações finais ao Conselho de Ética do Senado, onde é alvo de processo de cassação de seu mandato, o senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) afirmou por meio de sua defesa que a família do ex-diretor da área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró recebeu R$ 250 mil do pecuarista José Carlos Bumlai, por interferência do ex-presidente Lula.

O documento da defesa foi protocolado na última sexta-feira (29) e classifica a  a representação apresentada pelo Conselho de Ética contra Delcídio de “fantasiosa” e “estapafúrdia”, pedindo a anulação do processo por falta de provas. 

De acordo com o senador, a família de Cerveró o chantageou e ele foi explorado para benefícios de terceiros. "De um lado, de Lula para proteger a família do amigo [José Carlos] Bumlai; de outro lado, de Bernardo Cerveró [filho do ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró] que o atraiu por truques cênicos para criar a ‘cama de gato’ e conseguir o trunfo da colaboração do pai”, diz a defesa. 

Lula é citado mais de uma vez no documento: "aí que entra em cena um personagem decisivo de toda a história: o ex-presidente Lula! Foi ele quem pediu expressamente a Delcídio Amaral para 'ajudar' Bumlai porque, supostamente, ele estaria implicado nas delações de Fernando Soares e Nestor Cerveró. (...) Delcídio, vendo a oportunidade de ajudar a família do Nestor, aceitou interceder. O total recebido pela família de Nestor foi de R$ 250 mil, financiados pela família Bumlai, por interferência do ex-presidente Lula", afirma o documento.

Delcídio foi preso pela Polícia Federal em novembro do ano passado no âmbito da Operação Lava Jato, acusado de tentar atrapalhar as investigações. O senador trata de um plano de fuga para que Cerveró não fechasse acordo de delação premiada. Caso fechasse, não o citasse. 

Segundo o G1, a defesa de Cerveró nega a utilização de truques cênicos. Já o Instituto Lula afirmou já ter esclarecido em depoimento prestado à Procuradoria-Geral da República, que não praticou qualquer ato objetivando interferir na Operação Lava Jato.

Especiais InfoMoney:

Carteira InfoMoney rende 17% no 1º trimestre; CLIQUE AQUI e baixe!

Trader que perdeu R$ 285.000 com Telebras conta como deu a volta por cima

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa

 

Contato