Em mercados / politica

Possibilidade da Petrobras reduzir seus preços é mínima, acreditam analistas

Estatal não iria se sujeitar ao risco de reduzir preços agora e ter de aumentá-los nos meses próximos às eleições

v class="show-for-large id-0 cm-clear float-left cm-mg-40-r cm-mg-20-b" data-show="desktop" data-widgetid="0" style="">
SÃO PAULO - Nas recentes sessões, reportagens descrevendo que a Petrobras estaria prestes a reduzir os preços da gasolina em até 18%, devido ao aumento da diferença entre os preços praticados no mercado interno e externo, foram publicadas pela imprensa do país.

Além da informação ter sido desmentida pela empresa, os analistas da Fator Corretora e do Banco Espírito Santo acreditam que a possibilidade de um reajuste para baixo nos preços dos combustíveis dificilmente será implementado no curto prazo.

Volatilidade internacional e eleições
Lembrando que a estatal tem uma política de não repassar para o mercado interno a volatilidade de preços internacionais, os analistas lembram que as cotações do petróleo e dos combustíveis ainda estão bastante instáveis.

Neste contexto, a proximidade das eleições presidenciais ainda reforça a percepção de que nenhum movimento nas refinarias quanto a reajuste nos preços da gasolina e do diesel deve ser verificado. Isso porque a estatal não iria se sujeitar ao risco de reduzir os preços agora e ter de aumentá-los nos meses próximos às votações.

 

Contato