Em mercados / politica

Consultoria feita por filho de Lula foi copiada da Wikipedia, diz PF

No relatório, a PF chama a atenção para a "inexperiência" do filho de Lula para o trabalho prestado e para a "baixa complexidade" do estudo apresentado pela LFT

Luiz Claudio Lula da Silva
(Reprodução)

SÃO PAULO - O relatório final da Polícia Federal no inquérito da Operação Zelotes apontou que o trabalho de consultoria de R$ 2,5 milhões feito pela empresa de Luis Cláudio Lula da Silva, a LFT Marketing Esportivo, baseou-se em “meras reproduções de conteúdo disponível na rede mundial de computadores, em especial no site do Wikipedia”.

O pagamento foi feito pela Marcondes e Mautoni, banca de advogados especializada na representação de montadoras automotivas em entidades do setor, como a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos) e o Sinfavea (Sindicato Nacional da Indústria de Veículos). A Marcondes e Mautoni é investigada pela PF por suposta atuação ilegal para aprovar a MP 471, que prorrogou benefícios fiscais de montadoras de veículos.

O filho de Lula virou um dos investigados pela Zelotes após a quebra do sigilo bancário da Marcondes e Mautoni, de Mauro Marcondes, cujos registros mostraram de R$ 2,5 milhões na mesma época em que recebeu R$ 16 milhões de duas empresas interessadas em benefícios fiscais do governo federal. No final de outubro, a PF fez busca e apreensão na empresa de Luis Cláudio e, chamado a prestar explicações sobre os pagamentos: ele afirmou que o dinheiro se justificaria pela prestação de serviços na área esportiva, com "foco, em grande parte, relacionado à Copa do Mundo Fifa 2014 e às Olimpíadas 2016".

No relatório, a PF chama a atenção para a "inexperiência" do filho de Lula para o trabalho prestado e para a "baixa complexidade" do estudo apresentado pela LFT.

"[No relatório de análise policial] confirmou-se, objetivamente, que o estudo produzido é baseado em meras reproduções de conteúdo disponível na rede mundial de computadores, em especial no site do 'Wikipedia'", diz o inquérito. "Uma primeira e rápida vista dos documentos" já indicou que "pareciam ser de rasa profundidade e complexidade, em total falta de sintonia com os milionários valores pagos". 

A Polícia Federal concluiu não ser "minimamente crível" que Mauro Marcondes tenha contratado Luis Cláudio "ao mero acaso", pois ele "nunca tinha realizado qualquer trabalho semelhante anteriormente". "Não se sabia o custo da produção do estudo, tampouco a margem de lucro do trabalho", apontou ainda o relatório.

Na quinta-feira, o advogado de Luis Cláudio da Silva, Cristiano Zanin Martins, reiterou a fala de que seu cliente "prestou serviços na área de marketing esportivo para a Marcondes & Mautoni, através da LFT Marketing Esportivo, e que tais serviços foram comprovados". 

É hora ou não é de comprar ações da Petrobras? Veja essa análise especial antes de decidir:

 

Contato