Em mercados / politica

Após recusa de Trabuco, Dilma tem 3 alternativas para a Fazenda: Barbosa, Levy e Tombini

Joaquim Levy, do Bradesco, entrou para a bolsa de apostas após Trabuco recusar convite; Tombini é menos cotado, mas ainda é considerado, enquanto Barbosa é "carta na manga"

Joaquim Levy
(Divulgação)

SÃO PAULO - Depois da recusa do atual presidente do Bradesco, Luiz Trabuco, para substituir Guido Mantega no Ministério da Fazenda, outros nomes ganharam (ainda mais) força para o cargo. 

De acordo com informações do G1, Valor Econômico e Folha de S. Paulo, três nomes chegam a ser cogitados para a Fazenda: Nelson Barbosa (que sempre foi uma carta na manga do governo), o atual presidente do Banco Central Alexandre Tombini (que, contudo, teria manifestado preferência por permanecer no cargo) e Joaquim Levy, atual diretor-superintendente do Bradesco Asset Management, que voltou para a bolsa de apostas após a recusa de Trabuco. 

Segundo o Valor, ontem, Dilma se reuniu com Barbosa e Levy, depois do velório do ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, mas sem definições. Na manhã de ontem, Barbosa era visto como provável ministro do Planejamento mas, após a recusa de Trabuco, o nome do ex-secretário voltou a encabeçar a lista. Enquanto isso, Levy chegou a ser sondado para fazer parte da equipe econômica de Dilma, mas não foi informado se já foi definido o cargo ou a resposta dele. 

Já segundo Gerson Camarotti, do G1, o nome mais forte é mesmo o de Barbosa, que contaria com a simpatia de Lula e de Dilma, mas também poderia ir para o Planejamento, de acordo com a Folha. Após deixar o governo por causa de atritos com Mantega, Barbosa se aproximou de Lula ao colaborar pessoalmente para o seu Instituto. Já o outro nome cogitado, o de Tombini, perdeu força porque a própria Dilma avalia que é preciso mantê-lo no comando da política monetária, informa. 

Enquanto isso, o nome de Levy teria surgido na conversa entre Dilma e Lázaro Brandão, presidente do Conselho de Administração do Bradesco, que explicou à presidente que não teria condições de liberar Trabuco para o governo. Levy seria um bom nome, mas o ex-secretário do Tesouro já teve desentendimentos com Dilma no passado. 

A expectativa era de que que Dilma anunciasse até hoje a equipe. Contudo, o anúncio pode ficar para semana que vem. 

 

Contato