Em mercados / politica

Datafolha: Marina soma 21% no 1º turno e empata com Dilma no 2º

Ex-senadora, que deve substituir Eduardo Campos como presidenciável do PSB, aparece tecnicamente empatada com Aécio no primeiro turno e numericamente à frente da presidente na segunda etapa.

Marina Silva
(Facebook)

SÃO PAULO - Marina Silva, a provável substituta de Eduardo Campos como presidenciável do PSB, estaria numericamente à frente da presidente Dilma Rousseff (PT) na disputa de um segundo turno, de acordo com pesquisa divulgada pelo instituto Datafolha divulgada há pouco. Este é o primeiro levantamento que foi realizado após a morte do ex-governador de Pernambuco após um trágico acidente aéreo.

No primeiro turno, a ex-senadora soma 21% de apoio, tecnicamente empatada com o candidato à presidência pelo PSDB, Aécio Neves, que possui 20% da intenções de voto. Dilma manteve a dianteira com 36%. Com a leitura, a possibilidade da petista ser reeleita no primeiro turno está cada vez mais distante.

Na sequência, Pastor Everaldo, do PSC, aparece com 3%, seguido por Eduardo Jorge (PV) e Zé Maria (PSTU) com 1% cada um. Os demais candidatos, Rui Costa Pimenta (PCO), Luciana Genro (PSOL), Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB) e Mauro Iasi (PCB) não chegaram a pontuar. O número de votos brancos ou nulos somaram 8%, enquanto 9% dos eleitores ainda estariam indecisos.

O Datafolha ainda fez uma simulação de um primeiro turno considerando uma desistência do PSB de ter uma candidatura própria. Neste cenário, a petista aparece com 41%, seguida por Aécio com 25% e Pastor Everaldo com 4%. Na sequência, Eduardo Jorge, Rui Costa Pimenta, Zé Maria e Luciana Genro somam 1% das intenções de voto cada um. Os demais candidatos não pontuaram. Enquanto 12% dos eleitores responderam que estão indecisos, 13% disseram que votarão em branco ou nulo.

Na simulação de um segundo turno, Marina, que deve ser apresentada oficialmente como presidenciável do PSB na quarta-feira, está numericamente à frente da presidente, com 47% de apoio, ante 43% de Dilma. Ainda que a diferença seja de quatro pontos porcentuais, as duas estão tecnicamente empatadas nos limites máximos da margem de erro de 2 pontos porcentuais para cima ou para baixo. 

Contra o presidenciável tucano, Dilma seria reeleita no segundo turno, com 47% contra 39% de Aécio. 

Dilma: avaliação favorável melhora

Ainda que os números da pesquisa possam representar alguma ameaça para Dilma, a presidente atingiu seu maior nível de aprovação desde abril. A aprovação da gestão de Dilma subiu para 38%, frente aos 32% da pesquisa anterior, realizada em julho.

De acordo com o levantamento, 23% dos eleitores consideram o governo da petista ruim ou péssimo, de 29% anteriormente. A avaliação regular permaneceu estável, em 38%. 

Marina, a menos rejeitada

O instituto Datafolha também apurou a rejeição dos três principais presidenciáveis. Marina é a menos rejeitada. Apenas 11% dos eleitores disseram que não votariam nela em nenhuma situação. A taxa de rejeição de Dilma foi a mais expressiva (34%), seguida por Aécio (18%).

Realizada entre 14 e 15 de agosto, a pesquisa do Datafolha entrevistou 2.843 eleitores em 176 cidades brasileiras.

 

Contato