Plano de reestruturação minimiza efeito do prejuízo da Xerox sobre as ações

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

A Xerox anunciou hoje pela manhã o resultado referente ao quarto trimestre de 2000, que atingiu um prejuízo maior que o esperado pelo mercado. Por conta disso, a empresa também divulgou um plano de reestruturação que engloba corte de pessoal, redução de custos e vendas de ativos.

O prejuízo operacional da empresa de copiadoras no quarto trimestre de 2000 foi de US$ 198 milhões, ou US$ 0,31 por ação, comparado com um lucro de US$ 294 milhões, ou US$ 0,41 por ação no mesmo período do ano anterior. A receita de vendas caiu 13% passando de US$ 5,52 bilhões referente ao último trimestre de 1999 para US$ 4,83 bilhões em 2000. No terceiro trimestre de 2000 a empresa reportou seu primeiro prejuízo de US$ 0,14 por ação, pressionada pelo aumento da concorrência, pela reestruturação mal organizada e pela obsolescência de seus produtos. Neste segundo trimestre no vermelho, analistas esperavam que o prejuízo fosse menor, ficando em US$ 0,30.

A Xerox pretende se tornar lucrativa de novo, cortando US$ 1 bilhão em custos anuais, vendendo US$ 4 bilhões de ativos e focando as operações nas linhas de negócios que apresentam maiores taxas de crescimento, como as impressoras de grande volume e as impressoras e copiadoras coloridas. Além disso, 2.000 empregos foram cortados no quarto trimestre e outros 4.000 empregados deverão perder seus postos de trabalho neste primeiro trimestre de 2001. A empresa declarou que outros cortes ainda poderão surgir neste ano.

As ações da Xerox estão sendo negociadas a US$ 7,60, o que representa a forte valorização de 10,47% em relação ao fechamento anterior. Em dezembro, a cotação dos papéis da empresa caiu consideravelmente após ter anunciado a utilização total de sua linha de crédito emergencial para sustentar as operações diárias.

Compartilhe