Os Pregões que Fizeram História

Plano Collor: o confisco da poupança que derrubou a Bolsa em mais de 40% em dois dias

O mercado vendia renda variável para cobrir as perdas provocadas pelo congelamento; ouça

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO — Em 21 de março de 1990, o Ibovespa despencou 22,27% após o pânico no mercado causado pelo Plano Collor. O então presidente Fernando Collor de Mello determinou o bloqueio das poupanças até o limite de 50 mil cruzados novos.

O excedente aos 50 mil cruzados novos, que era ajustado pelo IPC (Índice de Preços ao Consumidor), passou a ser reajustado pelo BTNF (Bônus do Tesouro Nacional Fiscal).

Aprenda a investir na bolsa

No dia anterior, 20/03, o Ibovespa despencou 20,95%. O mercado vendia renda variável para cobrir as perdas provocadas pelo congelamento que seria anunciado por Collor.

O Plano Collor é o tema do quinto episódio de Os Pregões que Fizeram História. É possível seguir e escutar o programa pelo SpotifyGoogle PodcastsSpreakerDeezerApple Podcats (iTunes)Castbox e Podchaser. Se preferir, faça o download do episódio clicando aqui.

“O plano foi divulgado no dia 16 e a posse [de Collor como presidente da República] foi no dia 15. O discurso de posse foi daqueles discursos mais políticos, muito em linha com o que tinha sido colocado pelo Collor tanto na campanha quanto na fase de preparação do governo. Ele propunha um plano de governo muito liberal, inspirado um pouco no espírito da época”, contou Marcelo Giufrida, ex-presidente da Anbima e CEO da Garde Asset Management.

“Margaret Thatcher e Ronald Reagan eram os ícones da parte política e econômica ocidental. Eles inspiraram bastante a campanha do Collor e ele ganhou com essa plataforma na área econômica. Mas ele deixou escapar num certo momento, pouco antes de anunciar as medidas, que o plano dele ia deixar a direita indignada e a esquerda perplexa. Essa frase foi bastante simbólica porque ela foi precisa. Foi muito precisa quando você viu o que aconteceu depois, mas ninguém conseguia adivinhar com essa frase o que ia acontecer”, completou.

“Foi todo mundo pego meio de surpresa, recebendo a informação ao mesmo tempo”, disse Alfredo Menezes, CEO da Armor Capital (na época, trabalhava na tesouraria do BCN). “Saía medida do BC toda hora. Foi muito fechado, o mercado não foi consultado. Veio cheio de falhas. O BC toda hora soltando normativo para regular uma coisa ou outra. Era um processo muito mal elaborado.”

Giufrida e Menezes contam os bastidores dos pregões que sucederam o Plano Collor e falam sobre as consequências disso para os mercados e quais foram as lições aprendidas. Ouça acima.

Sobre o podcast

PUBLICIDADE

Os Pregões que Fizeram História é o novo podcast do InfoMoney e conta bastidores de dias emblemáticos para os mercados, seja por uma queda drástica ou por uma disparada, através da voz de quem estava lá — ou de quem entende muito do assunto. Ele vai ao ar toda semana, sempre às sextas-feiras.

O Plano Collor e o congelamento da poupança em 1990, a mudança para câmbio flutuante e a maxidesvalorização do real em 1999, o investment grade do Brasil em 2008, a crise do subprime naquele mesmo ano que colapsou os mercados do mundo inteiro, o Joesley Day e a delação dos irmãos Batista em 2017. Esses e muitos outros momentos marcantes para a Bolsa brasileira estarão na série.