PIB no Brasil e na Zona do Euro e relatório de emprego nos EUA: o que acompanhar na semana

Tudo o que o investidor precisa saber antes de operar na semana

Camille Bocanegra

Publicidade

Após uma semana agitada, com IPCA-15, dados de produção industrial e CAGED no Brasil, vem pela frente dias ainda mais cheios, tanto no cenário doméstico quanto internacional.

O principal dado econômico da semana será, sem dúvidas, o Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre, apresentado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na terça-feira. O Bradesco tem expectativa de queda de 0,3% em relação ao trimestre anterior, apresentando a primeira queda de atividade econômica desde o segundo trimestre de 2021.

“Estimamos uma queda de 0,2% em relação ao trimestre anterior, com um crescimento de 1,9% em relação ao ano de 2022. A maior contribuição negativa vem da agricultura (-5,1% em relação ao trimestre anterior; +9,4% em relação ao ano anterior), enquanto o setor de serviços deve desacelerar para +0,2% em relação ao trimestre anterior (+1,3% em relação ao ano anterior), em comparação com um crescimento de 0,7% no trimestre anterior. Finalmente, estimamos um aumento de 0,9% em relação ao trimestre anterior (+1,8% em relação ao ano anterior) na indústria, impulsionado pelo setor extrativo”, entende a equipe econômica do Itaú.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Antes disso, na segunda-feira, o Banco Central apresentará nota à imprensa sobre transações correntes e de IDP (Investimentos diretos no país), com números de outubro. O Bradesco projeta queda de US$ 500 milhões para as transações e avanço de US$ 4 bilhões no IDP. Será conhecida também a quantidade de emplacamentos de veículos de novembro e o IPC, pelo FIPE, com dados de novembro.

“Esperamos um déficit de US$ 1,4 bilhão na conta corrente, em comparação com o déficit de US$ 5,8 bilhões registrado no mesmo mês do ano passado”, pontua o Itaú, sobre os dados que serão divulgados pelo BC.

No dia seguinte, será apresentado o Indicador Antecedente de Emprego, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) de novembro, enquanto o BC trará também dados da política monetária e operações de crédito. Na terça, será divulgado também o Índice PMI composto pelo IHS Markit.

Continua depois da publicidade

Na quarta-feira, a FGV trará o IGP-DI. “Esperamos um aumento mensal de 0,58%, levando a taxa anual para -3,5%, ante -4,3% em outubro. Tanto os preços no atacado da indústria quanto da agricultura podem acelerar”, considera o Itaú. Serão conhecidos os dados de política fiscal e fluxo cambial do BC, assim como os números da produção e venda de veículos em novembro pela Anfavea.

A semana será encerrada, em divulgados, com a apresentação do IPC-S da FGC e os indicadores industriais de outubro da Confederação Nacional da Indústria. No campo político, a expectativa é de continuidade da agenda intensa que o Congresso tem apresentado nas últimas semanas.

Nos últimos dias, o Senado seguiu com a aprovação da proposta de alteração na tributação de fundos offshore e exclusivos. O projeto poderia aumentar a receita em R$ 20 bilhões no ano que vem e seria peça fundamental para que o Governo Federal cumprisse a meta de déficit zero em 2024. O texto foi enviado para sanção presidencial.

“Além disso, o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou o pedido do governo para emitir um crédito extraordinário para pagar o acúmulo de dívidas judiciais (precatórios) de 95 bilhões de reais. Ainda não está definido quando exatamente esse pagamento ocorrerá (assumimos que seja no próximo ano, mas há alguma possibilidade de que ocorra ainda em 2023)”, comenta a equipe econômica chefiada por Mario Mesquita.

Para a semana que vem, três assuntos devem dominar as atenções de investidores. A votação de vetos presidenciais pelo Congresso deverá ter lugar assim como as discussões sobre o projeto de subvenções do ICMS. 

A votação dos vetos está marcada para 7 de dezembro e é possível que seja contestado o veto do presidente que derrubou a prorrogação das desonerações da folha de pagamento. Além disso, deverá constar na pauta a votação final do Senado sobre tributação das atividades de apostas online.

Payroll nos EUA, PMI na China e Zona do Euro 

Nos EUA, a semana se encerrou positiva para as bolsas dos EUA e marcada por comentários de Jerome Powell sobre eficácia da política monetária atual, abrindo espaço para considerações sobre o fim das elevações de juros. Nos próximos dias, um dos dados mais relevantes para a temperatura da economia será divulgado.

Na sexta-feira, os dados de folha de pagamento (payroll) serão apresentados juntamente com a taxa de desemprego de novembro. Para criação de vagas, o consenso LSEG estima 200 mil enquanto o percentual de desempregados deverá ficar em 3,90%, de acordo com a projeção.

Esses não serão os únicos dados apresentados sobre o mercado de trabalho norte-americano uma vez que os números de geração de vagas de trabalho na pesquisa ADP serão divulgados quarta-feira. A estimativa LSEG está em 120 mil novas vagas.

Os dados sobre a movimentação de trabalhadores são peças-chave no estabelecimento da política monetária dos EUA e serão acompanhados pela divulgação do índice PMI Composto de novembro e o Índice ISM do setor de serviços na terça-feira. Na quarta, a balança comercial de novembro será divulgada e, no dia seguinte, o Fed trará sua apuração sobre o crédito ao consumidor, com dados de outubro.

No exterior, a semana começa com a divulgação da balança comercial da Alemanha, com números de outubro, enquanto a Zona do Euro apresenta os dados de confiança do consumidor. Na China, na segunda-feira, será conhecido o Índice PMI Composto  – Caixin.

Na terça, Índice PMI Composto será apresentado pela IHS Markit com os números da Alemanha, da Zona do Euro e Reino Unido. Além disso, o bloco europeu também trará seus dados de índice de preços ao produtor e, na quarta, divulgará os dados de vendas no varejo de outubro.

Na quinta-feira, o PIB do terceiro trimestre será conhecido na Zona do Euro e no Japão, com destaque também para a produção industrial da Alemanha no dia.

Por fim, o país germânico apresentará seu índice de preços ao consumidor na sexta-feira.