Diz Rosenberg

PIB não mostra nenhum “espetáculo do crescimento”, mas ofusca alarmistas de plantão

Economistas destacam que batalha foi vencida, mas não a guerra, mas número acima do esperado acalma mercado

SÃO PAULO – Enfim, uma boa notícia. Os números do PIB (Produto Interno Bruto) animaram o mercado, ao registrar um crescimento de 2,3% de 2013, acima do esperado.

Com a hipótese afastada de uma recessão técnica, o Ibovespa registra alta nesta sessão, uma vez que “acalma os ânimos” com relação aos temores sobre a economia brasileira, que vem enfrentando uma séria aversão ao risco por parte dos investidores internacionais, que destacam a preferência por investir em outros emergentes. Porém, mesmo com a batalha sendo vencida, a guerra ainda não acabou. 

Conforme aponta a Rosenberg Consultores Associados, o PIB foi melhor do que o esperado, trazendo um carregamento estatístico de 0,7 ponto percentual de 2013 para 2014. Isso deve acalmar um pouco os ânimos, uma vez que o mercado trabalhava com um carregamento perto de zero até o negativo. Assim, deve estancar, mesmo que temporariamente, a onda de revisões para baixo das perspectivas do PIB deste ano.

Porém, avaliam os economistas da consultoria, venceu-se uma batalha, mas não a guerra. Eles destacam que a evolução da absorção doméstica no último trimestre é um indício preocupante, ao mesmo tempo em que a formação bruta de capital fixo permanece muito baixa. 

Para o primeiro trimestre, as estimativas preliminares apontam para estabilidade em relação aos últimos três meses de 2013. Porém, um primeiro trimestre ruim ainda se compatibiliza com uma alta de 2,1% do PIB no ano, com leve recuperação guiada por certa melhora no ambiente. 

Assim, avaliam, “os dados do quarto trimestre melhores que o esperado não nos dizem que o Brasil terá um verdadeiro espetáculo do crescimento em 2014; longe disso”. Apenas que o PIB deve ficar mais próximo de 2% do que de 1%, desincentivando os alarmistas de plantão, apontam os economistas.

Os números da economia brasileira, contudo, animaram o ministro da fazenda, Guido Mantega, que sofre uma forte pressão do mercado. Na véspera, editorial do Financial Times afirmou que se Dilma demitisse Mantega, as consequências para o País seriam muito positivas. 

Porém, após a divulgação dos números do PIB, afirmou que o resultado do PIB de 2013, indica que economia brasileira está em trajetória de aceleração gradual, e que o crescimento vai continuar em 2014.

Com isso, o ministro soltou mais uma de suas características frases. “Acredito que os analistas terão muito trabalho neste fim de semana para rever suas projeções, que certamente serão mais positivas”, disse Mantega, comemorando o resultado. 

PUBLICIDADE