Perspectivas

PIB dos EUA, Fomc, “guerra fria” e balanços de blue chips: o que acompanhar na próxima semana

Tudo que o investidor precisa saber antes de operar na semana

SÃO PAULO – Após uma semana bastante volátil nos mercados, o clima para o fim de julho voltou a pesar por conta do aumento da tensão entre os Estados Unidos e a China e este, junto com os casos do novo coronavírus, deve ser o tema que irá ditar o mercado na próxima semana.

Após o governo americano mandar fechar o consulado chinês em Houston no início da semana, nesta sexta-feira (24) foi a vez da China retaliar e obrigar o fechamento do consulado dos EUA em Chengdu. Agora os investidores ficam atentos para possíveis novas medidas no que está sendo chamado de “guerra fria” entre as duas nações.

Isso em uma semana em que ocorre a nova reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), com a estimativa mediana dos analistas apontando para manutenção da taxa de juros nos EUA próximas de zero.

Apesar disso, os investidores ficarão de olho no comunicado e no discurso do presidente do banco central americano, Jerome Powell, que pode trazer sinalizações sobre os próximos passos da política monetária no país.

Ainda na agenda de indicadores, destaques especial para o Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre dos EUA, com estimativa de queda anualizada de 35%, segundo dados compilados pela Bloomberg.

Além disso, na zona do euro, também sairá o PIB e a estimativa é de recuo de 12% no comparativo trimestral. Atenção também para os PMIs de julho na China, com estimativas de atividade perto dos mesmos níveis de junho.

A temporada de resultados do segundo trimestre também será destaque, com os números de companhias como Apple, Alphabet e Amazon nos EUA.

Por aqui, os próximos dias contarão com os balanços de gigantes como Vale e Petrobras, que já demonstraram parte do impacto da
pandemia em seus relatórios de produção e vendas nos últimos dias. Além delas, os bancos Bradesco e Santander, a Cielo e as varejistas Pão de Açúcar e Carrefour também são destaque.

PUBLICIDADE

Na agenda de indicadores nacionais, as atenções se voltam para a taxa nacional de desemprego de junho, na quarta-feira (29), após o índice em maio subir para 12,9%.

Entre outros indicadores relevantes sobre o último mês do segundo trimestre estão previstos o resultado fiscal, a conta corrente e os números de crédito, além do IGP-M de julho.

Por fim, no campo político, a Comissão Mista da Reforma Tributária voltará a se reunir na quinta-feira (30) para discutir as três propostas que já estão no Congresso – a do governo, a da Câmara e a do Senado -, segundo afirmou o senador Roberto Rocha (PSDB-MA), que preside o colegiado.

Clique aqui e confira a agenda completa de indicadores e resultados.

Aprenda a identificar as ações com maior potencial de valorização: assista à série gratuita Stock Picking – A Habilidade mais Valiosa do Mercado