Corrupção

PF deflagra 52ª fase da Lava Jato, sobre crimes em subsidiárias da Petrobras

Ao todo, 40 policiais federais cumprem 11 ordens judiciais, entre um mandado de prisão preventiva, outro de temporária e nove mandados de busca e apreensão, em três cidades

SÃO PAULO – A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (21), a 52ª fase da Lava Jato. Batizada de Operação Greenwich, a investigação apura a prática de crimes contra subsidiárias da Petrobras, como a Petrobras Química S/A — Petroquisa, em favor do Grupo Odebrecht.

Ao todo, 40 policiais federais cumprem 11 ordens judiciais, entre um mandado de prisão preventiva, outro de temporária e nove mandados de busca e apreensão, nas cidades do Rio de Janeiro, Recife e Timbaúba (PE). De acordo com a PF, foi constatada uma repetição de esquema criminoso usado em contratações da Petrobras em casos envolvendo subsidiárias da estatal.

“As informações e provas reunidas até o momento demonstram que o Grupo Odebrecht foi favorecido na obtenção de contratos, em troca de repasses de recursos a funcionários da empresa, quer seja através da entrega de valores em espécie, quer seja através de remessas para contas bancárias estabelecidas no exterior”, diz a PF.

O nome desta nova fase, Greenwich, remete a uma conta bancária mantida fora do Brasil. Segundo os investigadores, ela era destinada ao recebimento de valores indevidos e transferidos pela Odebrecht a funcionários de subsidiárias da Petrobras para defender os interesses do grupo.