Conteúdo Patrocinado
Oferecido por PetroRio

PetroRio liga campos e reduz em 26% emissão de CO² por barril

Vídeo narrado pelo judoca Flavio Canto reforça o compromisso da companhia com inovação e meio ambiente

arrow_forwardMais sobre

A PetroRio, maior companhia independente de óleo e gás do Brasil, continua investindo em projetos que reforçam seu compromisso com a segurança e a preocupação com o meio ambiente. Mostrando que campos maduros também podem ser grandes oportunidades, a empresa de energia possui ao seu lado um planejamento com foco em gestão e redução dos custos como base para transformar o que para uns era descarte em um negócio lucrativo.

O exemplo mais recente é a conclusão do Projeto Fênix, que inclui a conexão entre os campos Tubarão Martelo e Polvo, ambos na Bacia de Campos (RJ), finalizado em julho deste ano. Com investimento de 45 milhões de dólares, a inovação da PetroRio gera resultados importantes e permitirá que mais óleo seja recuperado durante um período de tempo maior. As reduções dos custos operacionais combinados dos dois campos estão estimadas em cerca de US$ 50 milhões por ano. Haverá ainda diminuição do custo de produção a menos que US$ 12 por barril e redução de até 26% das emissões de CO² por barril.

A extensão da vida econômica do novo polo está prevista para até 2037, representando um acréscimo de mais de 15 anos e um aumento de 40 milhões de barris à reserva do Campo de Polvo. Serão mais 15 anos gerando empregos e royalties para os estados e municípios na área de influência dos campos. Devido ao sucesso do Projeto Fênix, este modelo de recuperação será levado para futuros ativos da PetroRio.

Um vídeo institucional, narrado pelo atleta Flávio Canto em tom lúdico e motivacional, fala sobre uma série de atributos importantes sobre o processo e os resultados do Projeto Fênix. O fio condutor da narrativa desconstrói o pensamento comum de que algo maduro – no caso um campo de petróleo – “não tem energia ou tanta utilidade”. A narração provoca o ouvinte sobre temas importantes, questionando se não vale a pena “queimar fosfato para reduzir a emissão de carbono” – referindo-se à conexão de Tubarão Martelo e Polvo.

Importante: A publicação acima é um conteúdo patrocinado, sendo que a Infostocks Informações e Sistemas Ltda. (“InfoMoney”) não tem qualquer responsabilidade pelo conteúdo e informações disponibilizadas, não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações, não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. O autor ou empresa responsável pelo conteúdo estão indicados na própria publicação.