Comentário diário

Petrobras vira para queda e Ibovespa zera ganhos; dólar cai 1% de olho em impeachment

Mercado passa a operar entre perdas e ganhos, perdendo forças após subir forte pela manhã

SÃO PAULO – O Ibovespa zera ganhos nesta terça-feira (9) com as ações da Petrobras virando para queda e pressionando o índice. No noticiário macro, os investidores seguem acompanhando as votações no Congresso. Na Câmara dos Deputados, será votada a renegociação das dívidas dos estados após o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, reiterar que o acordo inclui como contrapartida a adoção do teto de gastos para os estados. Já no Senado, está em sessão a votação do parecer da Comissão Especial de Impeachment, que recomendou a continuidade do processo de impedimento da presidente afastada Dilma Rousseff.  

Às 15h53 (horário de Brasília), o benchmark da bolsa brasileira tinha leve alta de 0,02%, a 57.648 pontos. Já o dólar comercial tem queda de 0,67% a R$ 3,1466 na venda, enquanto o dólar futuro para setembro registra perdas de 0,98% a R$ 3,169. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2018 cai 7 pontos-base a 12,66%, ao passo que o DI para janeiro de 2022 perde 14 pontos-base a 11,83%. 

De acordo com a economista-chefe da ARX, Solange Srour, no pós-impeachment, as equipes do governo devem “fazer acontecer” em questão de medidas para o ajuste fiscal. Segundo ela, o que puxa a Bolsa hoje é a expectativa que os investidores têm de um placar “bom” no impeachment. Para Srour, a surpresa positiva com a arrecadação do governo em julho também influencia. 

Entre as commodities, o petróleo opera em baixa, com o contrato futuro do barril do Brent em leve baixa de 1,19% a US$ 44,85. 

Senado vota impeachment
O Senado vota ao longo de toda esta terça o parecer do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) que recomendou a continuidade do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. A sessão não tem prazo para acabar, mas o presidente dela, o ministro do do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski, já sinalizou que pode suspendê-la às 23h para retomá-la amanhã. “Tudo depende do número de oradores inscritos. São variáveis sobre as quais não temos controle”, disse. 

De acordo Evandro Buccini, economista da Rio Bravo Investimentos, será importante observar a proporção dos votos. “Números acima de 54 a favor do impeachment farão a Bolsa subir ou se manter estável. Abaixo disso haverá um impacto bem negativo”, afirma.

Membros do governo interino esperam que entre 58 e 62 senadores votem a favor de levar processo de impeachment de Dilma para ser julgado no plenário do Senado, segundo uma pessoa da equipe de Michel Temer disse à Bloomberg. Dizem jornais que os aliados de Dilma tentarão suspender a sessão de pronúncia no Senado que dará prosseguimento ao impeachment, a ser comandada pelo presidente  

Após a votação, Dilma deve enviar a sua Carta aos Brasileiros, com o pedido de plebiscito para que a população seja ouvida a respeito da convocação de novas eleições. Esse contra-ataque, no entanto, já foi criticado dentro do próprio PT, partido da presidente afastada. O presidente da sigla, Rui Falcão, diz que ao pedir por novas eleições Dilma está dando um golpe em si mesma. 

Caso a continuidade do impeachment seja aprovada hoje, o julgamento final no plenário do Senado ocorrerá no fim do mês. O presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), falou em terminar todo o processo entre os dias 25 e 29 de agosto. 

PUBLICIDADE

Câmara vota renegociação
Também nesta terça deve ocorrer a votação na Câmara dos Deputados da renegociação das dívidas de estados e municípios, uma das primeiras medidas de ajuste fiscal que o governo Temer quer urgentemente ver aprovada. Na semana passada, a falta de quórum impediu que a medida fosse votada apesar das concessões feitas pelo governo como ao não proibir a concessão de reajustes aos salários dos servidores pelos governadores e prefeitos. 

De acordo com jornais, o próprio Temer estaria pessimista sobre a aprovação dessa pauta por causa das ameaças de retaliação de membros dos partidos do chamado “centrão”, que aumentam a pressão para obterem cargos e emendas. Já se avalia a possibilidade de mais um adiamento dessa votação, para a semana que ou até para depois das eleições municipais em outubro. Isso para evitar iniciativas, como a noticiada pelo Estado de S. Paulo, de líderes governistas que estariam se articulando para retirar a proibição a reajustes salariais acima da inflação. Um grupo de parlamentares que se dizem independentes decidiu votar contra o projeto se o governo insistir na proibição do reajuste acima do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) do ano anterior. 

“O destaque será o conteúdo do texto aprovado”, explica Buccini. Na sua opinião, quanto mais restritivo for em relação aos gastos que os governadores poderão realizar, melhor para o mercado. Vale lembrar que boa parte da volatilidade na Bolsa esta semana se deveu ao grande número de concessões realizadas pelo governo para garantir a aprovação da medida.

Vendas no varejo
Às 9h, o IBGE divulgou as vendas no varejo no Brasil em junho, que subiram 0,1% ante maio. A expectativa mediana dos economistas era de queda de 0,80% na comparação mensal. Na comparação anual, contudo, as vendas no varejo brasileiras tiveram uma retração, mostrando queda 5,3% contra uma expectativa mediana de recuo de 6,2%. 

Ações em destaque
A ação da Vale (VALE3, R$ 19,09, +0,58%; VALE5, R$ 15,98, +1,52%) tem alta após ter a sua recomendação elevada de underweight para equalweight pelo Morgan Stanley; o preço-alvo do ADR (American Depositary Receipt) foi elevado de US$ 4,80 para US$ 6 por papel. 

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia
 GGBR4 GERDAU PN8,40+3,07
 USIM5 USIMINAS PNA3,79+2,99
 QUAL3 QUALICORP ON20,73+2,83
 ESTC3 ESTACIO PARTON17,89+2,52
 GOAU4 GERDAU MET PN2,98+2,05

 

Dentro do setor mais pesado no Ibovespa, o financeiro, bancos grandes não encontram uma direção definida. Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 35,15, +0,43%), Bradesco (BBDC3, R$ 29,65, -0,34%; BBDC4, R$ 28,65, -0,80%) e Banco do Brasil (BBAS3, R$ 21,34, +0,80%) operam entre perdas e ganhos. Juntas, as quatro ações respondem por pouco mais de 23% da participação na carteira teórica do nosso benchmark.

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia
 RADL3RAIADROGASILON64,21-2,15
 CYRE3CYRELA REALTON11,12-1,85
 CMIG4CEMIG PN9,36-1,78
 SUZB5SUZANO PAPELPNA9,51-1,65
 EMBR3EMBRAER ON14,72-1,34

PUBLICIDADE

 

As ações da Petrobras (PETR3, R$ 13,65, -0,73%; PETR4, R$ 11,81, -0,84%), viram para queda junto com o desempenho dos preços do petróleo. O barril do WTI (WestTexas Intermediate) cai 0,91% a US$ 42,63, ao mesmo tempo em que o barril do Brenttinha perdas de 1,19% a US$ 44,85. 

Agenda dos EUA
Nos Estados Unidos, destaque para os dados de produtividade e custo de mão-de-obra, para os quais espera-se um avanço de 0,5%. O número sai às 9h30. Também nos EUA, saem às 11h os estoques do setor atacadista norte-americano. A expectativa mediana dos economistas é de crescimento de 0,2%. 

Entrevista exclusiva
Nesta manhã, o InfoMoney traz entrevista exclusiva feita com o vice-líder do governo na Câmara dos Deputados, Darcísio Perondi (PMDB-RS). Em seu sexto mandato consecutivo na casa, o peemedebista é homem de confiança de Michel Temer e atuará como relator do principal projeto econômico até o momento enviado pelo governo interino ao Congresso: a PEC que limita o crescimento das despesas públicas à inflação do ano anterior. Na conversa, o parlamentar falou sobre a retomada da confiança dos mercados, os gargalos na economia, as responsabilidades do Congresso sobre a crise e os planos para pôr fim ao modelo de partilha do pré-sal em 2017.

Cenário externo
As bolsas mundiais têm um dia de alta; na Europa, os mercados avançaram pelo quinto dia seguido na esteira dos resultados corporativos do segundo trimestre e repercutindo os dados da produção industrial do Reino Unido. A produção industrial do Reino Unido teve leve alta de 0,1% em junho ante maio, segundo dados publicados hoje pelo Escritório para Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês). Na comparação anual, houve aumento de 1,6% na produção da indústria britânica em junho. Já na Ásia, os mercados avançam com a inflação ao consumidor na China, que desacelerou em julho a 1,8% em termos anuais, mostrando deflação menor e sinalizando estabilização da economia.