Bolsa

Petrobras sobe 4% em 50 minutos e Ibovespa zera perdas; dólar sobe a R$ 3,545

Ibovespa zera perdas, enquanto dólar e DIs disparam em meio a piora do cenário político, com fortalecimento da tese do impeachment; ata do Copom sinaliza fim do ciclo de aumento dos juros

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Ibovespa zerou perdas nesta quinta-feira (6) puxado principalmente pelas altas fortes de Petrobras e Vale, que caíam no início do pregão. Com isso, o índice passa a se recuperar do pessimismo que tomou conta do mercado por causa da tensão política depois de pesquisa Datafolha mostrar a presidente Dilma Rousseff com uma aprovação “boa ou ótima” caindo de 10% para 8%, menor até que a do ex-presidente Fernando Collor de Mello. Ao mesmo tempo em que o índice virava, o vice-presidente Michel Temer (PMDB), dizia que é preciso ter governabilidade para governar o País e que a ação popular cabe a qualquer um que acha que houve desvio. 

Às 12h31 (horário de Brasília), o benchmark da Bolsa brasileira tinha leve alta de 0,07%, a 50.320 pontos. Ao mesmo tempo, o dólar comercial sobe 1,93% a R$ 3,5562 enquanto o dólar futuro para setembro subia 1,91%, a R$ 3,582. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2017 dispara 31 pontos-base a 14,08%, enquanto o DI para janeiro de 2021 sobe 35 p.bs. a 13,55%.

Segundo o trader da H. Commcor, Ari Santos, não há notícia que justifique esta virada da Bolsa, mas o dólar ficando mais caro acaba aumentando a atratividade das ações brasileiras ao investidor estrangeiro, o que para ele deve ter alimentado o movimento muito mais do que qualquer fato concreto. No entanto, ele ressalva que esta virada não deve ser consistente. 

Tensão política e ata do Copom
Além das tensões citadas acima, a saída do PDT e do PTB da base aliada junto com as notícias de que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB) se reuniu com os senadores do PSDB, José Serra e Aécio Neves para discutir o impeachment de Dilma ajudaram a piorar ainda mais o clima político.

Isso ocorre ao mesmo tempo em que a Câmara dos Deputados aprovou em primeiro turno a PEC 443, que vincula salários de advogados públicos e delegados de polícia à remuneração dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), mais um duro golpe no ajuste fiscal.

Dentre os indicadores, foi divulgada a ata do Copom (Comitê de Política Monetária), que segundo analistas reforça o compromisso do Banco Central com a meta de inflação em 4,5% em 2016. No trecho em que faz essa ponderação, o Banco Central excluiu a frase “ainda não se mostram suficientes” quando falou sobre os efeitos da política monetária. 

Destaques de ações
Depois de cair forte pela manhã, as ações da Petrobras (PETR3, R$ 11,24, +2,27%; PETR4, R$ 10,20, +1,90%) subiram 4% em 50 minutos antes do balanço da estatal, que é o grande destaque corporativo do pregão. A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da estatal volta a se reunir para tomada de depoimentos e deve ouvir o delator Milton Pascowitch, responsável por informações que culminaram na prisão de José Dirceu. Há expectativa ainda de instalação da CPI do BNDES também nesta manhã.

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia
 RUMO3 RUMO LOG ON EG9,27-4,33
 POMO4 MARCOPOLO PN N22,18-3,96
 GOAU4 GERDAU MET PN4,03-3,36
 RENT3 LOCALIZA ON26,92-2,85
 LAME4 LOJAS AMERIC PN16,34-2,80

 

PUBLICIDADE

 

Depois de cair nas últimas sessões, os bancos voltam a ver valorização na Bolsa. Destaque para Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 29,25, +0,34%) e Bradesco (BBDC3, R$ 27,23, -0,04%; BBDC4, R$ 26,23, +1,08%). 

Os papéis de Suzano (SUZB5, R$ 18,10, +2,84%) e Fibria (FIBR3, R$ 49,96, +2,69%) também sobem em meio à alta do dólar. Por terem perfil exportador, estas empresas se beneficiam com o câmbio, já que possuem receitas em câmbio. 

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia
 BRKM5BRASKEM PNA13,42+5,92
 SUZB5SUZANO PAPEL PNA18,10+2,84
 FIBR3FIBRIA ON49,86+2,49
 CSAN3COSAN ON20,45+2,20
 MRVE3MRV ON7,50+2,04

 

Por outro lado, a Vale (VALE3, R$ 19,03, +0,11%; VALE5, R$ 15,36, -0,19%) opera entre perdas e ganhos depois da queda do minério de ferro. A commodity spot no porto de Qingdao caiu 0,67% a US$ 56,40 a tonelada. 

Fed indica aumento de juros
As bolsas asiáticas caíram nesta quinta-feira depois que dados fortes dos Estados Unidos e declarações do presidente do Federal Reserve de Atlanta, Dennis Lockhart, alimentaram expectativas sobre a elevação da taxa de juros na maior economia do mundo em setembro. 

Lockhart, membro com direito a voto no Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), disse que seria necessária uma “deterioração significativa” na economia norte-americana para que ele não apóie uma elevação do juro em setembro.

PUBLICIDADE

O operador da Capital Spreads Jonathan Sudaria disse que investidores estão cautelosos com tantos dados apontando em direções diferentes, com bancos centrais apesar disso aparentemente tendo a firme intenção de dar os primeiros passos ao longo de um ciclo de alta nas taxas de juros.

“Operadores estão compreensivelmente agindo cautelosamente”, escreveu ele em nota a clientes. O índice de Xangai perdeu quase 1% após notícias de que o regulador bancário da China estimou que as dívidas podres de bancos cresceram 35,7 por cento ante o ano passado, para 1,8 trilhão de iuanes (289,92 bilhões de dólares) ao final de junho.

Na Europa, o dia oscila entre leves perdas e ganhos; as empresas que mais sofrem na bolsa são do setor de commodities em meio à queda do preço do petróleo. Enquanto isso, as bolsas da Grécia sobem 3% hoje, após três dias de queda. Já o Banco da Inglaterra manteve a taxa de juros em 0,5%.