Radar InfoMoney

Petrobras seleciona interessados para compra de refinarias, Usiminas adia reforma de alto forno

Confira os destaques do noticiário corporativo na sessão desta sexta-feira (29)

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – No Radar InfoMoney desta sexta-feira, destaque à Petrobras com seleção de interessados à compra de seus ativos de refino e a venda de fatia em campo à PetroRio por US$ 100 milhões; ao GPA com a data de assembleia para migração ao Novo Mercado; à Usiminas com adiamento de reforma de alto-forno; e ao Iguatemi com compra de fatia em dois shoppings por R$ 260 milhões.

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras selecionou Sinopec, da China, Mubadala, de Abu Dhabi, e Ultrapar e Raizen do Brasil, para a segunda rodada de venda de refinarias, segundo informaram fontes à Reuters. Ultrapar, Raizen e Mubadala não comentaram; Petrobras e Sinopec não comentaram imediatamente à agência.

A Petrobras anunciou a venda à PetroRio de 30% da concessão de Frade, localizada na Bacia de Campos, litoral norte do estado do Rio de Janeiro, por US$ 100 milhões. Atualmente, a PetroRio, por meio de suas subsidiárias, detém os 70% restantes da concessão de Frade.

Aprenda a investir na bolsa

A transação incluiu também a venda da totalidade da participação detida pela Petrobras Frade Inversiones S.A. (PFISA), subsidiária da Petrobras, na empresa Frade BV, que detém a propriedade dos ativos offshore, utilizados no desenvolvimento da produção do campo de Frade.

O valor da venda de US$ 100 milhões será pago em duas parcelas: US$ 7,5 milhões na assinatura do contrato; e US$ 92,5 milhões no fechamento da transação, sujeito aos ajustes devidos. Além disso, há o montante de US$ 20 milhões contingente à uma potencial nova descoberta no campo.

GPA (PCAR4)

O GPA informou que o Conselho de Administração autorizou a convocação de Assembleia Geral Extraordinária e Assembleia Geral Especial de acionistas detentores de ações preferenciais para deliberar acerca da migração da Companhia ao segmento de listagem Novo Mercado da B3.

“Como etapa necessária à migração, a administração propôs a conversão das ações preferenciais da companhia em ações ordinárias na proporção de uma ação ordinária para uma ação preferencial”, afirmou. A assembleia será no dia 30 de dezembro, às 10h.

Usiminas (USIM5)

A Usiminas informou que o conselho de administração aprovou o adiamento por 12 meses da reforma do Alto Forno 3 da Usina de Ipatinga (MG). “Dessa forma, o AF3 continuará operando normalmente até meados de 2022, quando a reforma será efetivada”, escreveu.

Iguatemi (IGTA3)

A Iguatemi Empresa de Shopping Centers comunicou o exercício do direito de preferência para aquisição de 20% do Praia de Belas Shopping Center, em Porto Alegre/RS, e 15% do Shopping Center Esplanada, em Sorocaba/SP.

PUBLICIDADE

As participações são detidas por um mesmo sócio e o preço da operação foi de R$ 260,1 milhões, sendo 8% de sinal (já pagos), 42% a serem pagos mediante assinatura das escrituras de promessa de compra e venda e 50% a serem pagos após 180 dias do pagamento da parcela anterior, corrigidos a 120% do CDI.

Com a conclusão desta operação, a Iguatemi passa a deter participação majoritária em ambos os ativos, sendo 57,55% no PBSC e 52,99% no SCESP.

Fleury (FLRY3)

O Fleury anunciou na véspera a compra de 100% do Inlab (Investigação Laboratorial Ltda.) por R$ 90 milhões. O Inlab atua em análises clínicas por meio de 21 unidades de atendimento e uma área técnica na região metropolitana de São Luís, Estado do Maranhão.

Segundo a empresa, a receita bruta estimada do Inlab, nos últimos 12 meses findos em setembro de 2019, atingiu R$ 39,9 milhões. Com a aquisição, o Fleury entra no Maranhão, o quarto estado no Nordeste que o grupo tem operação. Ele também está presente em São Paulo, Rio, Paraná, Rio Grande do Sul e Distrito Federal.

Leia também: Fleury compra Inlab por R$ 90 milhões e expande negócio para o Maranhão

“A aquisição do Inlab reflete a estratégia do Fleury de expandir sua capilaridade nacional de forma orgânica e inorgânica. Nos últimos três anos, inauguramos 54 novas unidades de atendimento”, afirmou a diretora executiva de negócios do grupo, Jeane Tsutsui.

Telefônica Brasil (VIVT4)

Após vender suas operações na América Central, a Telefónica, controladora da Vivo, iniciou a sua maior reestruturação ao fazer a cisão de seus ativos na América Latina, mantendo o Brasil, e reunindo em unidades independentes os negócios da Argentina, Chile, Peru, Colômbia, México, Equador, Uruguai e Venezuela. A intenção é a venda ou achar um parceiro, inclusive com uma possível listagem em bolsa.

A Telefônica Brasil fez a venda de 1.909 torres para a Telxius Torres Brasil, controlada indireta da Telefónica S.A., pelo valor total de R$ 641 milhões. “A Transação assegura ainda a continuidade da prestação do serviço móvel pessoal (SMP), na medida em que também compreende a locação de espaço nestas infraestruturas, bem como estabelece condições para a ampliação do espaço alugado”, diz a empresa.

Banco do Brasil (BBAS3)

PUBLICIDADE

O Banco do Brasil aprovou distribuir R$ 502,3 milhões em JCP relativos ao quarto trimestre de 2019. Os JCPs serão pagos em 30 de dezembro tendo como base a posição acionária de 11 de dezembro.

Itaú Unibanco (ITUB4)

O Itaú Unibanco aprovou a declaração de juros sobre o capital próprio no valor de R$ 0,037560 por ação. O montante será pago até 30 de abril com base na posição acionária do dia 12 de dezembro. Após retenção de IR na fonte, o valor, em juros líquidos, será de de R$ 0,031926 por ação.

(Com Agência Estado e Bloomberg)

 

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações!