Radar InfoMoney

Petrobras recebe proposta para vender Sete Brasil por R$ 1, OPA da Multiplus já tem data e 5 balanços no radar

Confira os principais destaques corporativos desta sexta-feira (1)  

SÃO PAULO – No radar InfoMoney desta sexta-feira (1), a temporada de balanços segue movimentada, com o lucro da Hering subindo 11%, Cteep lucrando R$ 708,1 milhões no 4º trimestre, Arsesp não acolhe recurso sobre revisão tarifária de Sabesp, FIP Sondas e a Petrobras recebem proposta para vender Sete Brasil por R$ 1 e mais notícias.

Confira esses e mais destaques corporativos de hoje:

Petrobras (PETR3PETR4)

A Petrobras anunciou alta de 1,98% no preço médio do litro da gasolina A sem tributo nas refinarias, válido para esta sexta-feira (1), para R$ 1,6865. O preço do diesel, por sua vez, ficou inalterado em R$ 2,1224, conforme tabela disponível no site da empresa.

Segundo Ancelmo Gois, do jornal O Globo, o FIP Sondas e a Petrobras, controladoras da Sete Brasil, receberam uma proposta para vender a empresa de investimentos pelo valor de R$ 1. O Comitê de Investimentos do FIP irá deliberar sobre a proposta no dia 26.

MRV Engenharia (MRVE3)

A MRV Engenharia, maior operadora do Minha Casa Minha Vida (MCMV) e maior construtora residencial do País, obteve lucro líquido de R$ 191 milhões no 4º trimestre de 2018, crescimento de 5,8% ante o mesmo período de 2017. No acumulado de 2018, o lucro líquido totalizou R$ 690 milhões, expansão de 5,6% em relação a 2017.

O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) alcançou R$ 273 milhões (+1,2%) e a margem Ebitda caiu 1,7 ponto porcentual, para 17,9%. No ano, o Ebitda totalizou R$ 988 milhões (+10,8%), enquanto a margem Ebitda caiu 0,5 ponto porcentual, para 18,2%.

O aumento do lucro da MRV está relacionado à evolução dos lançamentos e das vendas, com diluição das despesas operacionais. A companhia tem conseguido tornar a construção mais rápida pelo uso de formas de concreto no lugar das paredes de tijolo. Além disso, foram registrados aumentos nas receitas de ordem financeira no trimestre.

A MRV fechou 2018 com dívida líquida de R$ 435 milhões, elevação de 15,1% em relação ao fim de 2017. Nesse período, as disponibilidades de caixa recuaram 21,5%, para R$ 2,428 bilhões. Com isso, a alavancagem (relação entre dívida e patrimônio líquido) subiu de 6,5% para 8,9%.

Sabesp (SBSP3)

A Sabesp informou por meio de Fato Relevante que a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) indeferiu os pedidos de reconsideração sobre a segunda revisão tarifária ordinária e de revisão dos cálculos do Fator X, sobre o ajuste compensatório pelo atraso na aplicação da 2ª Revisão Tarifária Ordinária e do cálculo do componente financeiro referente a fundos municipais.

Banco Pine (PINE4)

PUBLICIDADE

O Banco Pine registrou um prejuízo líquido de R$ 40 milhões no 4º trimestre de 2018, contra lucro de R$ 4 milhões no mesmo período de 2017. O prejuízo contábil no trimestre foi de R$ 75 milhões e o resultado líquido da intermediação financeira foi negativo em R$ 21 milhões. Em dezembro, a carteira de crédito expandida do banco totalizou R$ 4,1 bilhões, um recuo de 33,4%.

Cteep (TRPL4)

A ISA Cteep apresentou um lucro líquido de R$ 708,1 milhões entre outubro e dezembro de 2018, alta de 355,7% em relação ao mesmo período de 2017. A receita líquida cresceu 93,6%, para R$ 1,02 bilhão, enquanto o Ebitda (Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização, na sigla em inglês) somou R$ 769,6 milhões (+187,2%).

No acumulado do ano, a companhia apurou um lucro de R4 1,88 bilhão (+37,8%), a receita líquida ficou em R$ 3,2 bilhões (+17,9%) e o Ebitda somou R$ 2,47 bilhões (+20%).

“Apesar dos fluxos de caixa constantes decorrentes da natureza do negócio de transmissão, a tese de investimento da empresa continua sendo a mais arriscada dentre as empresas de transmissão sob nossa cobertura. No entanto, estamos mantendo nosso rating inalterado, pois a dívida da empresa permanece sob controle, levando-nos a acreditar que ela deve manter pagamentos de dividendos generosos”, escrevem os analistas da Brasil Plural.

Multiplus (MPLU3)

Está disponível o edital da oferta de aquisição de ações (OPA) para cancelamento de registro e saída do segmento Novo Mercado da Multiplus, lançada pela controladora Latam. O documento se segue à concessão de registro pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) da oferta, inicialmente anunciada em setembro, e informa que o leilão ocorrerá em 1º de abril, ao preço de R$ 27,22 por ação.

Conforme o edital, o preço é de R$ 26,84, após ajustes por pagamento de dividendos (de R$ 0,36 por ação) e juros sobre capital (R$ 0,02 por ação). Ainda assim, o preço da OPA segue acima da faixa indicada no laudo de avaliação, elaborado pelo Credit Suisse, pela metodologia de fluxo de dividendos descontados, de R$ 15,99 por ação.

Portanto, “no julgamento do Ofertante, conforme previsto no artigo 16, inciso I da Instrução CVM 361, o Preço da OPA é justo, pois o preço por ação é superior ao piso da faixa do preço por ação da companhia indicado pelo avaliador no laudo de avaliação”, como consta no edital.

A Latam pretende comprar até a totalidade das ações em circulação, 44.030.136, que são representativas de 27,14% do capital da Multiplus, e 26.552 de titularidade dos administradores, de modo que a OPA pode atingir R$ 1,18 bilhão.

PUBLICIDADE

A realização da OPA foi anunciada pela Latam, controladora da Multiplus, em setembro do ano passado. Por causa da perda de market share do programa de fidelidade, o grupo aéreo decidiu não renovar ou estender seu acordo operacional com a Multiplus após o fim de 2024 e propôs a aquisição total das ações ordinárias da empresa, a fim de deslistá-la do Novo Mercado e cancelar seu registro na B3 para administrar internamente o programa.

Cia. Hering (HGTX3)

A Cia Hering viu seu lucro líquido subir 11% no quarto trimestre de 2018, chegando a R$ 95,4 milhões, contra R$ 86 milhões um ano antes. No acumulado do ano, a companhia teve uma queda de 9,2% no lucro, passando de R$ 263,7 milhões em 2017 para R$ 239,5 milhões no ano passado.

Já o Ebitda da companhia teve alta de 9% entre outubro e dezembro, chegando a R$ 88,87 milhões, enquanto no acumulado de 2018 o nível ficou praticamente estável em R$ 259,56 milhões.

Enquanto isso, a receita líquida teve leve recuo, chegando a R$ 447,95 milhões no fim do ano passado, caindo 1,5% no anualizado, para R$ 1,54 bilhão.

Copasa (CSMG3)

A Copasa fechou o quarto trimestre com lucro líquido de R$ 178 milhões, uma alta de 18% sobre os R$ 150 milhões de um ano antes. Enquanto isso, no acumulado de 2018, a companhia atingiu R$ 578,7 milhões de lucro, contra R$ 560,4 milhões no ano anterior.

A receita líquida da companhia ficou em R$ 4,1 bilhões no ano, 4,4% a mais do que em 2017, quando ficou em R$ 3,9 bilhões. Entre outubro e dezembro, por sua vez, a receita chegou a R$ 1,09 bilhão, alta de 3,3% em um ano.

O Ebitda registrou R$ 399,3 milhões nos três últimos meses do ano, praticamente estável sobe o montante do fim de 2017. Já no acumulado do ano, o valor atingiu R$ 1,4 bilhão, queda de 2% em relação ao ano anterior, quando a empresa registrou Ebitda de R$ 1,5 bilhão.

São Martinho (SMTO3)

O Itaú BBA revisou suas estimativas para São Martinho, aumentando o preço-alvo estimado para 2020 para R$ 26/ação (ante R$ 22 em 2019) e mantiveram a recomendação de compra para o papel.  “Vemos a companhia com uma combinação de sólida geração de caixa e crescimento considerável. Além disso, esperamos melhores resultados olhando para frente, impulsionado por melhores preços de açúcar e etanol e uma maior diluição de custos”, escrevem os analistas.

PUBLICIDADE

(Com Agência Estado)

Invista em ações com corretagem ZERO: abra uma conta na Clear