Petrobras (PETR4) tem 37 instalações interditadas na Bahia, Hypera (HYPE3) aprova debêntures, Carrefour (CRFB3) atualiza JCP e mais

Confira mais destaques do noticiário corporativo desta quarta-feira (14)

Felipe Moreira

Publicidade

O radar corporativo desta quarta-feira (14) traz a Petrobras (PETR3;PETR4), que recebeu auto de interdição para a paralisação da operação em 37 instalações terrestres de produção de petróleo e gás na Bahia.

O Carrefour Brasil (CRFB3) alterou o valor de juros sobre capital próprio a ser pago por ação de R$ 0,072730893 para R$ 0,072730202.

Ibovespa hoje: os destaques do mercado ao vivo nesta quarta-feira

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O Banco BTG Pactual (BPAC11) aprovou a distribuição de juros sobre capital próprio complementar, em 2022, no montante de R$ 750 milhões.

Confira mais destaques:

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras informou que, após auditoria realizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), recebeu, em 12 em dezembro, auto de interdição para a paralisação da operação em 37 instalações terrestres de produção de petróleo e gás na Bahia.

Continua depois da publicidade

A estatal diz que está atuando nas providências necessárias para a parada segura das suas instalações e reforça que realiza suas operações de acordo com os mais rigorosos padrões internacionais de segurança, saúde e respeito ao meio ambiente.

Hypera (HYPE3)

O conselho de administração da farmacêutica Hypera (HYPE3) aprovou nesta terça-feira a emissão de R$ 750 milhões em debêntures não conversíveis e contratação de financiamento de R$ 250 milhões junto ao Santander Brasil (SANB11).

A 14ª emissão de debêntures da Hypera será realizada em série única e prazo de cinco anos e tem como objetivo promover o
“reperfilamento” de dívidas, afirmou a empresa em ata de reunião do colegiado.

Carrefour Brasil (CRFB3)

O Carrefour Brasil (CRFB3) informou na terça-feira (13) a modificação do valor por ação dos juros sobre capital próprio
informado no aviso divulgado em 1 de dezembro de 2022, tendo em vista a variação na quantidade de ações emitidas pela companhia em decorrência dos exercícios de opções de compra de ações, no âmbito do Plano de Opção de Compra de Ações da companhia.

O montante bruto de juros sobre capital próprio a ser pago por ação de emissão da companhia será de R$ 0,072730202, e não mais de R$ 0,072730893, como fora divulgado anteriormente, mantendo-se o montante total bruto de juros sobre capital próprio de R$ 153 milhões.

Permanecem válidas as demais informações quanto à distribuição de juros sobre capital próprio constante do aviso divulgado anteriormente.

BTG Pactual (BPAC11)

O Banco BTG Pactual aprovou a distribuição de juros sobre capital próprio complementar, em 2022, no montante de R$ 750 milhões, em razão da elevação da TJLP, mantendo-se inalterada a previsão de distribuição regular referente ao 2º semestre de 2022.

O montante aprovado é equivalente a R$ 0,065353099 por ação ordinária e preferencial. O valor por Unit é de R$ 0,196059297.

Os proventos serão creditados aos acionistas que se encontrarem inscritos nos registros da Companhia no final do dia 16 de dezembro de 2022, sendo as ações da companhia negociadas “ex-direitos” a partir de 19 de dezembro de 2022.

O pagamento dos juros sobre capital próprio ocorrerá no dia 15 de fevereiro de 2023.

Vale (VALE3)

A Vale (VALE3) informou que houve alteração do número de ações em tesouraria da mineradora em função do seu programa de recompra de ações. Dessa forma, o valor bruto final dos juros sobre o capital próprio por ação, passou a ser no valor de R$ 0,2920126881 por ação.

WEG (WEGE3)

O Conselho de Administração da fabricante de motores elétricos aprovou a distribuição de juros sobre capital próprio (JCP) no valor total de R$ 228,065 milhões, correspondente a R$ 0,054352941 por ação, aos titulares de ações em 16 de dezembro de 2022. De 19 de dezembro de 2022 em diante, as ações serão negociadas “ex-juros sobre capital próprio”.

O pagamento de JCP ocorrerá em 15 de março de 2023 e será feito pelo valor líquido de R$ 0,046200000 por ação, já deduzido o imposto de renda na fonte de 15%.

Suzano (SUZB3)

A Suzano (SUZB3) aprovou a distribuição de dividendos no valor de R$ 88,6 milhões, com pagamento em 21 de dezembro de 2022 e as ações passarão a ser negociadas ex-direito a partir de amanhã (14).

Os dividendos equivalem a R$ 0,48 por ação ordinária e R$ 0,53 por ação PNA e PNB.

Fleury (FLRY3)

A rede de diagnósticos Fleury (FLRY3) aprovou a distribuição de JCP no valor de R$ 107,898 milhões. O valor corresponde a R$ 0,29447941115 por ação e as ações serão negociadas na condição “ex-juros sobre o capital próprio” a partir de 20 de dezembro de 2022.

O pagamento de juros sobre o capital próprio aos acionistas ocorrerá em 29 de dezembro de 2022, com base na posição acionária de 19 de dezembro de 2022.

OuroFino (OFSA3)

O Conselho de Administração aprovou o pagamento de juros sobre o capital próprio aos acionistas da companhia, no montante total bruto de R$ 23,594 milhões, correspondentes a R$ 0,4388330 por ação.

Terão direito ao recebimento do valor correspondente aos juros sobre capital próprio todos os detentores de ações da companhia na data base de 16 de dezembro de 2022, sendo que as ações de emissão da companhia passarão a ser negociadas ex-JCP em 19 de dezembro de 2022.

O pagamento ocorrerá em 29 de dezembro de 2022.

Ser Educacional (SEER3)

A Ser Educacional (SEER3) submeterá para apreciação na Assembleia Geral Extraordinária a ser realizada em 13 de janeiro, a proposta de incorporação de suas controladas Centro de Ensino Superior Piauiense, CIESPI-Centro Integrado de Educação Superior do Piauí e Sociedade de Ensino Superior Piauiense.

De acordo com a empresa, as incorporações estão alinhadas com a estratégia de simplificação e otimização das estruturas organizacionais.

Rede D’Or (RDOR3) e SulAmérica (SULA11)

O Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) avalia nesta quarta a fusão entre a Rede D’Or e a SulAmérica.  A operação causou reação de empresas do setor.

Light (LIGT3)

A Light (LIGT3) informou que a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o resultado da revisão tarifária extraordinária da sua controlada Light Serviços de Eletricidade (Light Sesa).

Com isso, o efeito médio na tarifa é uma queda de 5,89% nas tarifas, cujos valores entram em vigor a partir de 15 de dezembro.

Enauta (ENAT3)

A Enauta (ENAT3) informou que a Sociedade Classificadora DNV (Det Norske Veritas) emitiu a recertificação da unidade de produção Petrojarl I.

Com a recertificação, o contrato de afretamento vigente com a Altera Infrastructure será estendido por um prazo de até dois anos, até maio de 2025.

Paranapanema (PMAM3)

A Paranapanema (PMAM3) tem seu processo de recuperação judicial deferido pela Justiça do Estado de São Paulo. A partir de agora, a companhia entra efetivamente no processo, tendo como administrador judicial Oreste Nestor de Souza Laspro, nomeado pela Laspro Consultoria.

Está prevista ainda a suspensão das ações e execuções, bem como dos prazos prescricionais, observados os limites legais, contra a companhia e suas subsidiárias pelo período de 180 dias, contados a partir do deferimento da tutela antecipada concedida no âmbito do processo, obrigação de prestação de contas no âmbito do processo até o dia 30 de cada mês, entre outras medidas.

Eneva (ENEV3)

A Eneva (ENEV3) comunicou que a Atmos Capital Gestão de Recursos passou a deter o total de 78.969.308 ações ordinárias, correspondendo 4,98% do total das ações ordinárias da companhia.