Petrobras (PETR4): Opções de venda chegam a subir mais de 2.000% com saída de Prates

Fora noticiário político, proximidade do vencimento das opções também ajuda na alta

Vitor Azevedo

Logotipo da Petrobras em refinaria de Cubatão, em 24/02/2015 (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

Publicidade

Algumas opções de venda das ações da Petrobras (PETR4) chegam a subir mais de 2000% no pregão desta quarta-feira (15), após o anúncio, na noite de ontem, da saída do então presidente da estatal Jean Paul Prates.

A PETRQ409, por exemplo, registrava alta de 2.333% por volta das 11h (horário de Brasília) desta sessão, para depois amenizar os ganhos. No caso da opção citada,  o preço de strike é de R$ 38,12, muito próximo do preço atual da ação preferencial, de R$ 38,20 (com queda de 7% por volta das 11h).  Além do stress por conta da notícia, ajuda também na alta volatilidade a proximidade do vencimento de opções, marcado para a próxima sexta-feira (17).

Uma opção de venda dá ao detentor o direito, mas não a obrigação, de vender um ativo (neste caso, ações da Petrobras) a um preço fixo (strike) antes do vencimento da opção. O detentor da opção de venda pode optar por exercer este direito se o preço de mercado da ação for inferior ao preço de exercício, permitindo-lhe vender a ação por um valor superior ao atual no mercado. Caso contrário, pode escolher não exercer a opção, perdendo apenas o prêmio pago por ela.

Continua depois da publicidade

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas.

Outras opções, como a PETRQ419, PETRQ421 e a PETRQ416 também chegaram a ter fortes oscilações – todas acima de 1.500%. Respectivamente, elas têm strike em R$ 39,12, R$ 39,37 e R$ 38,87. Todas as citadas têm vencimento nesta sexta. Às 12h22 elas tinham ganhos “um pouco mais modestos”, mas ainda expressivos, superando os 1.000%, enquanto PETRQ409 avançava 1.067%, a R$ 0,35.

A reação do mercado às opções de venda reflete um cenário onde parte dos investidores buscam proteger seus investimentos contra uma potencial desvalorização das ações da Petrobras. A alta nas opções de venda, particularmente as que estão perto do preço atual da ação e com vencimentos iminentes, sinaliza, segundo comentários, uma corrida para hedging. Fora isso, há também quem aproveite o momento para especular.

Continua depois da publicidade

O volume de negociações das opções também está alto. A PETRQ409, por exemplo, já teve mais de R$ 2,5 milhões em negócio na primeira hora do pregão, contra pouco menos de R$ 50 mil na véspera.

O mercado recebeu mal o afastamento de Prates. “A saída de Prates é uma deterioração da governança da Petrobras e um risco negativo para a tese de investimento”, afirmou o Citi em relatório, acrescentando que a nova presidente chega “pressionada para cumprir o plano de investimentos e acelerar a expansão do capex, o que pode impactar negativamente no pagamento de dividendos da empresa”.

Fora isso, há também temores com o nome de Magda de Regina Chambriard, que assume o cargo. Há a visão entre investidores de que ela pode vir a ser mais desenvolvimentista, fora o fato de ela já ter, em redes sociais, criticado a política de dividendos. 

Continua depois da publicidade

Entenda em 3 passos como funciona o mercado de opções:

1) O que é uma opção?
A opção é um derivativo negociado na Bolsa de Valores. E como qualquer derivativo, seu preço “deriva” da oscilação do ativo ao qual ela se lastreia. No caso de uma opção de ação, o contrato varia de acordo com as oscilações desta ação na Bovespa – confira a ferramenta de cotações de opções de ações do InfoMoney.

Quem compra uma opção está adquirindo o “direito” de comprar ou vender alguma ação; já quem vende a opção tem a obrigação de atender a exigência daquele que comprou o contrato. Ou seja: se você vendeu uma opção de compra e essa opção for exercida, você terá que vender essa ação ao detentor da opção pelo preço estabelecido; se você vendeu uma opção de venda e ela for exercida, você terá que comprar esta ação ao preço estabelecido.

2) O que é uma opção de compra? E uma opção de venda?
Existem dois tipos de opções: de compra (call) e de venda (put). Quando um investidor compra uma “call”, ele está adquirindo o direito de comprar uma determinada ação a um preço já estabelecido (que é preço de exercício, ou “strike”) até um dia de vencimento já firmado. Para o investidor que compra uma “put”, ele está adquirindo o direito de vender uma ação até um dia determinado a um valor já estabelecido.

Continua depois da publicidade

3) O que significam as letras e números de uma opção?
Tanto para “call” como para uma “put”, todas as informações sobre o ativo, o preço de exercício e o vencimento já estão explícitos no contrato. As 4 primeiras letras denominam qual ação é o alvo da opção; a 5ª letra define se é uma opção de compra ou de venda e qual o vencimento da mesma; já os números definem qual o preço estabelecido para exercer este direito.