Esclarecimentos

Petrobras (PETR4) nega que tenha desistido de vender Albacora; recuo seria negativo para PetroRio (PRIO3)

A estatal ressalta que “Albacora faz parte da carteira de ativos à venda pela companhia, conforme divulgado no Plano Estratégico 2022-2026”.

Por  Felipe Moreira

A Petrobras (PETR4;PETR3) negou, nesta quarta-feira (27), ter decidido suspender o processo de venda da sua participação em Albacora, na Bacia de Campos, após às notícias veiculadas na mídia sobre o processo de desinvestimento.

A estatal ressalta que “Albacora faz parte da carteira de ativos à venda pela companhia, conforme divulgado no Plano Estratégico 2022-2026”.

Conforme informações apresentadas no teaser divulgado em setembro de 2020, Albacora possui projeto de revitalização com potencial para aumentar significativamente sua produção, além de extenso plano de desenvolvimento. “A Petrobras realiza testes na formação do pré-sal de Forno, tendo descoberto reservatórios adicionais não produtores e identificado leads exploratórios.”

O esclarecimento ocorreu uma vez que, na véspera, a PetróleoHoje havia informado que a Petrobras tinha suspendido o processo de desinvestimento de Albacora e manter o campo de Albacora em seu portfólio. De acordo com o artigo, o licitante preferencial, PetroRio (PRIO3), já havia elevado a oferta de um pouco abaixo de US$ 2 bilhões para aproximadamente US$ 3 bilhões. No entanto, para a Petrobras, o novo valor ainda não foi suficiente para o campo, principalmente pelo valor do reservatório incluído no ativo.

Para analistas do Bradesco BBI, caso a Petrobras desista de vender Albacora, o preço-alvo da PetroRio (PRIO3) cairia de R$ 45 para R$ 35. Isso porque a recomendação de compra e preço-alvo de R$ 45 já incluía Albacora Leste e Albacora (Albacora Oeste).

No entanto, desde a publicação do relatório com as estimativas incluindo estes campos, em março, BBI destaca que houve alguns outros desenvolvimentos que não foram incluídos no modelo, como: (i) o plano de desenvolvimento da PRIO para Albacora Leste, que inclui um potencial de produção muito maior do que estimado originalmente, o que pode levar a uma criação de valor de R$ 9 por ação, contra os R$ 6 por ação do modelo oficial; (ii) os resultados do poço ODP4 em Frade foram muito melhores do que o esperado, pois o poço apresentou uma vazão de 15kbpd, contra os 4kbpd que esperado originalmente, levando a um valor incremental de R$ 4 por ação.

Como resultado, um preço-alvo atualizado para PetroRio excluindo Albacora Oeste seria mais próximo de R$ 40-42 por ação, o que ainda implica 70-77% de alta em relação aos preços atuais das ações.

Em termos de reação do mercado às notícias, analistas do BBI acreditam que as reações deveriam ser mistas. Por um lado, Albacora Oeste pode ser altamente agregadora de valor, dado estimativa de valor de R$ 10 por ação referente ao projeto, o que pode até ser conservador, já que a última avaliação da Petrobras sobre um dos reservatórios apontou alto potencial em termos de reservas e produção.

Por outro lado, o montante de US$ 3 bilhões exigiria que a Petrorio realizasse uma grande emissão de dívida ou até mesmo uma nova oferta de ações para financiar a aquisição, o que aumentaria a pressão sobre a geração de fluxo de caixa de curto prazo, além de tornar o caso de investimento mais complexo, dado o cenário de juros hawkish e janela apertada para ofertas de ações.

Às 10h45 (horário de Brasília) desta quarta-feira, os ativos PRIO3 caíam 1,52%, a R$ 23,37, mas alinhados à baixa de outros ativos do setor.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

 

Compartilhe