Bolsa

Petrobras despenca 4% com suspeita de corrupção e puxa o Ibovespa; dólar sobe 1%

Índice fechou no negativo em meio a cenário interno de tensão por ajuste fiscal e indefinição na Grécia; Petrobras e Braskem caíram por processo nos EUA

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Ibovespa fechou em queda nesta quarta-feira (1) puxado principalmente pelas ações da Petrobras, que recuaram com notícias de escândalo de corrupção. O principal índice da Bolsa recuou 0,61%, aos 52.757 pontos. O volume negociado neste pregão foi de R$ 5,791 bilhões. 

O cenário externo, que pela manhã trouxe alta para o benchmark, ficou indefinido depois que o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, pediu para que a população vote contra a austeridade no referendo de domingo para pressionar os credores. A notícia foi contra as informações divulgadas pelo Financial Times pela manhã de que os gregos estariam próximos de aceitar o acordo que os credores internacionais ofereceram ao país no fim de semana. Apesar disso, as bolsas dos Estados Unidos fecharam em alta, bem como as europeias.

Já o dólar comercial teve alta de 1,16%, a R$ 3,1443 na compra e a R$ 3,1450 na venda. O câmbio, que chegou a cair pela manhã, virou depois da divulgação do ADP Employment, o relatório que revela o número de postos de trabalho no setor privado nos EUA. Foram criados 237 mil novos empregos contra uma estimativa de 217,5 mil de pesquisa Bloomberg com 44 economistas. Um número maior do que o esperado aumenta a chance de uma elevação dos juros pelo Federal Reserve mais cedo. 

No radar, a CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgou nesta manhã a pesquisa CNI-Ibope de junho sobre a avaliação dos brasileiros em relação ao governo Dilma Rousseff. Segundo o levantamento, realizado entre os dias 18 e 21 de junho, a aprovação do governo oscilou de 19% em março para atuais 15%, no limite da margem de erro, de dois pontos para cima ou para baixo. Comportamento semelhante foi visto na avaliação ótimo/bom da presidente, que agora marca 9%, contra 68% de ruim/péssimo. Os que consideram a gestão regular agora somam 21%.

Ações em destaque
As ações da Petrobras (PETR3, R$ 13,52, -3,64%; PETR4, R$ 12,18, -4,17%) foram as maiores responsáveis pela queda nesta quarta. Um acionista da Braskem (BRKM5, R$ 12,98, -4,70%) entrou com processo no tribunal de Manhattan, Estados Unidos, contra a companhia por um suposto esquema de propina dentro da Operação Lava Jato, motivo porque a petroquímica também recua forte. Nos documentos do processo, o acionista alega que a Braskem pagou pelo menos US$ 5 milhões por ano para a Petrobras entre 2006 e 2012 para comprar matéria-prima mais barata. “Os controles internos da Braskem foram grosseiramente ineficazes”, mostram os documentos, segundo informações da Bloomberg. 

Foram divulgados às 11h os estoques do petróleo nos Estados Unidos, que aumentaram em 2,386 milhões. O barril do WTI (West Texas Intermediate) caiu 4,41%, a US$ 56,85, ao passo que o barril do Brent caiu 2,55%, a US$ 61,97. 

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia% Ano
 GOAU4 GERDAU MET PN6,01-5,65-46,36
 BRKM5 BRASKEM PNA12,98-4,70-21,90
 OIBR4 OI PN5,59-4,44-35,08
 PETR4 PETROBRAS PN12,18-4,17+21,56
 GGBR4 GERDAU PN7,18-4,14-24,08

As ações da Vale (VALE3, R$ 18,11, -0,98%; VALE5, R$ 15,42, -1,03%) começaram a acelerar as perdas depois de cair 4% ontem. O minério de ferro spot com 62% de pureza no porto de Qingdao caiu 0,25%, a US$ 59,20.

Após registrarem alta na sessão anterior, as ações de frigoríficos como JBS (JBSS3, R$ 15,90, -2,81%) e Marfrig (MRFG3, R$ 5,65, -0,70%), registram queda. Os papéis reagiram ontem ao anúncio da liberação dos Estados Unidos à importação da carne bovina brasileira in natura. A medida encerra uma restrição praticada há 15 anos e favorece 95% da agroindústria exportadora brasileira.

PUBLICIDADE

Segundo o BTG Pactual, a notícia é positiva para todos os frigoríficos brasileiros, especialmente o Minerva. Para a equipe de análise do banco, a liberação dos EUA à importação poderá facilitar a entrada do produto em outros mercados rentáveis como Canadá, México, Japão e Coreia do Sul. Eles preveem que a exportação inicial aos EUA será de 40 milhões de toneladas, com potencial de 100 milhões de toneladas no longo prazo.  

Os papéis de bancos como Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 34,40, +0,57%), Bradesco (BBDC3, R$ 27,80, -0,64%; BBDC4, R$ 28,37, -0,46%) operaram entre perdas e ganhos. No radar das instituições financeiras está a notícia de que o novo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Edson Fachin, decidirá só em setembro se está apto a julgar ou não a matéria dos prejuízos da população por conta dos planos econômicos contra a inflação nas décadas de 1980 e 1990. Os bancos podem ter que pagar uma indenização bilionária na ação que tramita no Supremo. 

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia% Ano
 QUAL3QUALICORP ON20,51+4,06-24,94
 CTIP3CETIP ON EJ35,40+3,87+12,92
 MULT3MULTIPLAN ON EJ N249,10+3,27+3,71
 RENT3LOCALIZA ON EJ31,43+2,76-10,65
 LAME4LOJAS AMERIC PN17,81+2,71+3,75

A Cetip (CTIP3, R$ 35,40, +3,87%), segundo Hersz Ferman, subiu em meio a informações de que o Itaú usará o projeto desenvolvido pela empresa de câmara de liquidação e custódia de ativos fixos para registro eletrônico de contratos de financiamento imobiliário. O sistema serve para tirar a parte burocrática de cartórios deste tipo de operação. A companhia já faz isso com títulos e com a financiamento de veículos.

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram :

 CódigoAtivoCot R$Var %Vol1
 PETR4PETROBRAS PN12,18-4,17756,67M
 ITUB4ITAUUNIBANCO PN ED34,40+0,57354,84M
 PETR3PETROBRAS ON13,52-3,64243,96M
 VALE5VALE PNA15,42-1,03224,80M
 CIEL3CIELO ON44,67+1,94201,09M
 ABEV3AMBEV S/A ON19,100,00198,09M
 BBDC4BRADESCO PN ED28,37-0,46191,25M
 BRFS3BRF SA ON EJ63,81-2,21181,97M
 BBSE3BBSEGURIDADE ON34,25+0,44166,67M
 UGPA3ULTRAPAR ON65,15-0,84116,93M

* – Lote de mil ações 
1 – Em reais (K – Mil | M – Milhão | B – Bilhão)

Agenda de indicadores
Hoje foi divulgada a Balança Comercial brasileira. As exportações brasileiras registraram média diária de US$ 934,7 milhões em junho, o que representa uma queda de 8,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. Já as importações registraram média diária de US$ 719,1 milhões, com retração de 20,6% na mesma base de comparação. Os números foram divulgados nesta quarta-feira, 01, pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

PUBLICIDADE

Ainda por aqui saiu o PMI Brasil. O índice teve uma melhora de 0,6 ponto. Alcançou 46,5 pontos este mês, ante os 45,9 em maio. Lembrando que valores acima de 50 indicam expansão, enquanto abaixo desta marca é caracterizada como uma contração.

Na Europa, houve a divulgação do PMI (Purchasing Manager’s Index) final do Markit, indicador que mede a atividade industrial da zona do euro e é divulgado mensalmente, subiu à máxima de 14 meses de 52,5 no mês passado, ante 52,2 em maio, em linha com a leitura preliminar publicada antes de os temores sobre a Grécia se intensificarem. O índice que mede a produção ficou em 53,6, contra preliminar de 53,5 e 53,3 em maio.