Destaques da Bolsa

Petrobras cai pela 6ª vez em 7 dias e Pão de Açúcar atinge mínima de 2009; veja mais

Confira os principais destaques de ações da Bovespa nesta sexta-feira

SÃO PAULO – O dia que parecia ser de alívio para a Bovespa acabou sendo de nova queda, com os investidores evitando qualquer posicionamento durante o fim de semana diante da volatilidade do mercado. O otimismo com a falas de Alexandre Tombini, presidente do Banco Central, e Janet Yellen, presidente do Federal Reserve, parece ter sido outro impulso que, novamente, durou pouco. 

O Ibovespa perdeu força e virou para queda, fechando com perdas de 1,02%, a 44.831 pontos, depois de uma abertura positiva. O índice foi puxado, principalmente, pelas ações da Petrobras, Vale e bancos, que passaram a cair durante o dia.

Confira abaixo os principais destaques de ações da Bovespa nesta sessão:

Petrobras (PETR3, R$ 8,08, -2,65%; PETR4, R$ 6,82, -2,01%)
As ações da Petrobras passaram a cair forte depois de ter registrado alta de mais de 2% nesta manhã, enquanto o preço do petróleo brent amenizava ganhos no mercado internacional. Neste momento, a commodity subia 0,29%, a US$ 48,31. Essa é a sexta queda em sete pregões das ações da companhia. 

No radar da companhia, o Bank of America Merrill Lynch cortou sua projeção de crescimento da produção da Petrobras  em 12,5% do período entre 2015 e 2019, para US$ 126 bilhões. 

Além disso, segundo informações da Bloomberg, a Fundação de Bill Gates e o fundo de investimentos WGI Emerging Markets entraram com uma ação individual contra a Petrobras em um tribunal nos Estados Unidos. Essa é a 16ª ação individual ajuizada contra a companhia nos EUA. 

Também no radar, a estatal informou na quinta-feira ter rescindido contrato de afretamento da unidade de sondas ODN TAY IV com a Odebrecht Óleo e Gás. Segundo informou a Petrobras por e-mail, a rescisão ocorreu “com base em fundamento contratual expresso”. A vice-presidente financeira da Odebrecht S.A., Marcela Drehmer, disse à Reuters que o grupo está considerando alternativas, e ainda tem 90 dias para decidir. A Odebrecht disse ontem que está buscando alternativas para os bônus da Odebrecht Óleo e Gás, incluindo novo afretamento de sondas ou devolução de algumas delas, mas descartou que esteja buscando uma renegociação de dívidas de todo o conglomerado, que soma aproximadamente R$ 88 bilhões.

Vale e siderúrgicas
As ações da Vale (VALE3, R$ 17,93, -2,82%; VALE5, R$ 14,24, -3,52%) intensificaram queda, apesar dos 
contratos futuros de minério de ferro na China terem registrado recuperação nesta sexta-feira, mas ainda apresentando a segunda queda semanal consecutiva, com a demanda mantendo-se fraca e comerciantes de aço tentando reduzir os seus estoques antes de uma semana de feriado nacional a partir de 1º de outubro.

As siderúrgicas, que operavam em alta mais cedo estendendo os ganhos da véspera, também passaram a cair nesta tarde: Usiminas (USIM5, R$ 3,41, -3,67%), CSN (CSNA3, R$ 4,01, -4,52%). Ontem, os papéis subiram após ter registrado o pior pregão da história na quarta-feira – no caso de Usiminas e CSN -, depois de relatório de analistas apontarem, erroneamente, que o endividamento da CSN não era protegido pela variação cambial. Posteriormente, a siderúrgica esclareceu o ocorrido, o que puxou forte alta dos papéis ontem. 

PUBLICIDADE

O minério de ferro para entrega em janeiro na bolsa de Dalian subiu 1,2%, fechando a 382 iuanes (US$ 59,93) por tonelada nesta sexta-feira. O contrato registrou baixa de 2,4% na semana. 

Bancos
Depois de começo de pregão positivo, os papéis dos bancos também intensificaram as perdas nesta tarde: Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 26,05, -2,43%), Bradesco (BBDC3, R$ 23,95, -2,13%; BBDC4, R$ 21,68, -2,30%), Banco do Brasil (BBAS3, R$ 15,25, -3,05%) e Santander (SANB11, R$ 13,07, -1,66%).    

B2W (BTOW3, R$ 15,61, +0,06%)
Depois de reagir positivamente à venda da Ingresso.com, as ações da B2W chegaram a virar, mas conseguiram encerrar o pregão próximo da estabilidade. Ontem, a companhia informou que fechou acordo para vender 100% da Ingresso.com para a empresa norte-americana Fandango Media Group, por R$ 280 milhões. “A alienação da Ingresso.com tem por objetivo focar a companhia ainda mais nas operações de comércio eletrônico, marketplace, serviços digitais e financiamento ao consumo”, disse a B2W em fato relevante.

Segundo o Bradesco BBI, o acordo é positivo para a B2W já que os recursos representam 7% do atual valor de mercado da companhia e o Ingresso.com não é seu “core business”. 

Pão de Açúcar (PCAR4, R$ 49,59, -4,62%)
As ações do Pão de Açúcar caíram pela sexta vez em sete dias – chegando ao menor fechamento desde outubro de 2009 – em meio a um cenário mais adverso que os analistas vem traçando para a companhia diante da piora econômica. Na semana passada, três grandes bancos revisaram para baixo suas projeções para a companhia, assim como para a sua controlada Via Varejo (VVAR11, R$ 4,62, -1,70%), que caiu nos últimos sete pregões e renovam sua mínima histórica na Bolsa. 

Insira seu melhor email e receba dicas e conteúdos exclusivos sobre como investir com sucesso