Radar InfoMoney

Petrobras, 7 resultados e recomendações agitam o radar desta terça-feira

Confira os principais destaques corporativos nesta manhã

SÃO PAULO – A temporada de balanços corporativos volta à tona no mercado doméstico, com oito resultados do segundo trimestre divulgados entre ontem à noite e esta manhã.

O destaque ficou com os números do Itaú Unibanco (ITUB4), que registrou lucro líquido de R$ 5,984 bilhões no período, contra R$ 4,899 bilhões um ano antes. A média das projeções de 7 analistas compiladas pela Bloomberg apontava um lucro de R$ 5,763 bilhões. Em bases recorrentes, o lucro foi de R$ 6,134 bilhões. O banco, no entanto, viu os calotes subirem após 11 quedas seguidas. O índice de inadimplência, medido pelo saldo de operações vencidas com mais de 90 dias, foi a 3,3%, subindo ante os 3% do trimestre anterior. O banco fará teleconferência com investidores sobre o balanço às 09h30 (horário de Brasília).

Além do balanço, o Itaú anunciou o pagamento de juros sobre o capital próprio complementares aos dividendos pagos mensalmente durante o primeiro semestre no valor de R$ 0,3460 por ação, que serão pagos em 25 de agosto. Os acionistas que estiveram na base do banco até o final do dia 12 de agosto terão direito aos proventos. 

Petrobras 
O Conselho de Administração da Petrobras (PETR3; PETR4) está pressionando a diretoria a apresentar os critérios da metodologia utilizada pela companhia para definir os preços dos combustíveis no mercado interno, uma questão fundamental para a garantia da prometida paridade com as cotações internacionais, disseram à Reuters três fontes com conhecimento do assunto.

Ainda sobre a empresa, o Senado vai instalar comissão especial para analisar Projeto de Lei que revoga a participação compulsória da Petrobras no modelo de partilha de produção de petróleo no pré-sal. A comissão será instalada em Brasília às 11h. 

Bradespar
A Bradesco (BRAP4) aprovou a recompra de até R$ 24,8 milhões ações no prazo de um ano. 

Bradesco
O Bradesco (BBDC3; BBDC4) teve sua recomendação cortada para manutenção pelo Santander após aquisição do HSBC Brasil por R$ 17,6 bilhões. Apesar do negócio adicionar valor ao banco por três anos, analistas do banco citaram risco de execução da operação. 

Após o anúncio da operação, o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, disse, em entrevista ao Valor, que o banco pode crescer 10 anos em um com o HSBC Brasil. Atingir a liderança será consequência, comentou.  

Anima 
A Anima (ANIM3) anunciou na noite de segunda-feira que vai recorrer à contratação de linhas de créditos, bem como de contratos de swap, para recompor o capital de giro devido ao inadimplemento do Ministério da Educação com os contratos do Fies. O conselho de administração aprovou que a companhia vá em busca de empréstimos de até R$ 350 milhões, ficando outorgado à diretoria poderes para negociar e contratar a melhor taxa disponível no mercado. Segundo a coluna Radar, da Veja, o governo já deixou de repassar às instituições de ensino R$ 7,5 bilhões do Fies.

PUBLICIDADE

Hypermarcas
A Hypermarcas (HYPE3) foi rebaixada para market perform (desempenho em linha com a média) pelo Itaú BBA, com preço justo de R$ 21,00 por ação. 

Segundo analistas do banco, o movimento é baseado no recente desempenho operacional, mais notavelmente na menor margem bruta da divisão de Consumidor nos últimos trimestres e maior resultado financeiro líquido afetado pela inflação mais elevada e juros maiores.

Porto Seguro
Voltando à temporada de balanços, a Porto Seguro (PSSA3) informou nesta manhã um lucrou líquido de R$ 273,2 milhões no segundo trimestre, 25,8% a mais sobre o mesmo período do ano passado, pelo critério que consolida os números de suas diversas marcas. Sem esse fator, o lucro subiu 25,6%, para R$ 275 milhões. As receitas totais crescerram 10%, para R$ 3,9 bilhões, enquanto os prêmios de seguros tiveram alta de 7,4%, alcançando R$ 3,2 bilhões.

Marcopolo
Já a Marcopolo (POMO4anunciou lucro líquido de R$ 37,106 milhões no segundo trimestre, 26,1% menor que os R$ 50,242 milhões do igual período do ano passado. No semestre foram R$ 71,2 milhões, com queda de 31% em relação aos primeiros seis meses de 2014. 

O Itaú BBA espera reação negativa hoje, destacando que segue cauteloso sobre a ação e acredita que existe risco negativo para a sua estimativa neste momento. 

BR Malls 
A operadora de shopping centers BR Malls (BRML3) teve lucro líquido de R$ 330,277 milhões no segundo trimestre de 2015, uma alta de 10,6% frente o igual período do ano passado. 

O Itaú BBA espera reação ligeiramente negativa. “Continuamos com nossa visão cautelosa por enquanto, diante da maior exposição da companhia a ativos de renda média e média-baixa em um ambiente de desaceleração macroeconômica”, comentaram os analistas. 

BR Properties 
A BR Properties (BRPR3anunciou lucro líquido de R$ 34,9 milhões, uma queda de 81% em relação ao segundo trimestre de 2014. A receita líquida da companhia mostrou queda de 21% ao encerrar o período em R$ 177,43 milhões. O Itaú BBA espera reação negativa das ações. 

PUBLICIDADE

Além do resultado, a companhia de investimentos em imóveis comerciais firmou um acordo com a BRE Ponte Participações para vender dez ativos imobiliários no valor de R$ 1,065 bilhão, segundo fato relevante divulgado nesta terça-feira. A transação inclui ativos da BR Properties e de suas subsidiárias e está sujeita a determinados ajustes, acrescentou.

Multiplus
A Multiplus (MPLU3), empresa de programa de fidelidade controlada pela TAM, registrou no segundo trimestre lucro líquido de R$ 109,3 milhões, 36,5% acima do apresentado em igual período do ano passado.  

Para o Bradesco BBI, os resultados do período foram fortes, boas vendas de pontos, preços maiores em função do câmbio e resgates decentes. 

Valid
A Valid (VLID3) registrou um lucro líquido ajustado de R$ 30,4 milhões no segundo trimestre, contra R$ 24,5 milhões em igual período do ano passado. Nos seis primeiros meses, o lucro líquido ficou em R$ 66 milhões, crescimento de 35% se comparado a 2014.