Pequeno empresário aposta no factoring de matéria prima para driblar falta de crédito

Escassez de crédito para pequena empresa fez com que operações de factoring de matéria prima aumentassem 40% em 2002

Por  Equipe InfoMoney

SÃO PAULO – Preocupados com os altos níveis de inadimplência, especialmente nos créditos ao consumidor, mas também entre as empresas, os bancos estão cada vez mais exigentes na hora de conceder financiamentos. Esta tendência deve se acentuar com o recente aumento dos juros básicos, uma vez que o risco de inadimplência aumenta.

Dentre as empresas, certamente o segmento mais penalizado é o das pequenas empresas, que não só pagam juros mais altos nas operações de financiamento de capital de giro, como enfrentam maiores dificuldades na obtenção do crédito, já que muitas vezes não conseguem atender todas as garantias exigidas pelos bancos.

Factoring para driblar falta de crédito

Os pequenos empresários encontraram no factoring de matérias primas a maneira de compensar a escassez de crédito de curto prazo, especialmente nas linhas de capital de giro usadas para o financiamento da produção. Com isto o volume de operações de factoring de matéria prima acumula expansão de 40% desde o início do ano, segundo o diretor da RHM Factoring, Ricardo Abreu Sampaio.

Segundo Sampaio, a procura pelo factoring é a forma encontrada pelos empresários para garantir a produção, sendo que os prazos de quitação da dívida variam, mas em geral é de três meses. A operação não é indicada para grandes empresas já que o valor do financiamento está limitado à R$ 100 mil. Outra empresa que oferece factoring de matéria prima, a Tetra Fac, oferece termos mais restritos para os empresários, com um prazo de dois meses e valor financiado de R$ 60 mil.

Acesso limitado

Contudo, até o momento as empresas de factoring estão restringindo a oferta das operações de factoring de matéria prima para os clientes mais antigos. Na Tetra Fac, por exemplo, a empresa precisa ser cliente há pelo menos dois anos para poder contratar o serviço, pois para fazer a operação a empresa de factoring deve conhecer bem a carteira de clientes da empresa em questão.

Depois de se certificar da carteira de pedidos da empresa, a factoring compra a matéria prima necessária para que este fabrique os produtos à vista, de forma que o empresário passa a ter um saldo devedor com a empresa de factoring, que será ajustado diariamente com base em uma taxa mensal. Ao vender seus produtos a prazo, o empresário terá duplicatas das vendas efetuadas, que serão descontadas pela empresa de factoring. O desconto será feito com base na taxa mensal sendo paga pelo empresário e será usado para quitar o saldo devedor.

Nas operações de factoring de matéria prima, a empresa de factoring se transforma em intermediária entre a empresa e o fornecedor de matéria prima. Exatamente por isto pode-se dizer que a operação de factoring não pode ser vista como um financiamento, mas sim como uma operação mercantil (de compra e venda), onde a empresa transfere o risco de recebimento das duplicatas para a empresa de factoring.

Compartilhe