EUA

Pedidos de auxílio-desemprego sobem mais que o esperado nos EUA

Em dia de agenda movimentada, EUA anuncia preços estáveis em dezembro, mas renda da população vê um salto

SÃO PAULO – A agenda econômica norte-americana apresentou diversos indicadores nesta quinta-feira (31). Os pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos vieram pior do que o esperado pelos analistas na semana finalizada em 26 de janeiro, quando foram observadas 368 mil novas solicitações no país, contra expectativa de 345 mil. Na semana anterior foram registrados 330 mil novos pedidos.

Já o Continuing Claims, que mede a manutenção do uso do auxílio-desemprego, marcou 3,198 milhões na semana encerrada em 19 de janeiro, acima do resultado anterior (3,175 milhões) e abaixo das projeções do mercado (3,200 milhões).

Índice de preços mostra estabilidade em dezembro
O núcleo do índice de preços PCE (Personal Consumption Expenditures) manteve em dezembro a estabilidade vista no mês anterior, frente a perspectiva de alta de 0,1%.

O Personal Income, que acompanha a evolução da renda da população nos EUA, apresentou alta de 2,6%, enquanto o consenso dos analistas esperava alta de 0,7%. Em novembro, o índice apresentou avanço de 1%. Já o Personal Spending subiu 0,2% no período, enquanto o mercado projetava avanço de 0,3%. Em novembro, esse outro segmento do indicador principal registrou alta de 0,4%.

Custo da mão de obra fica em linha com expectativa
O custo da mão de obra nos EUA ficou em linha com o esperado no quarto trimestre de 2012. No período, foi registrada alta de 0,5% no Employment Cost Index. A variação esperada pelos analistas foi a mesma que a registrada, enquanto houve alta em relação ao trimestre anterior (0,4%).

Ainda nesta quinta-feira será divulgado o PMI de Chicago de janeiro, com expectativa de alta para 50,5 pontos ante 48,9 registrados em dezembro.