Perspectivas

PEC Emergencial, IPCA, dados da China e resultados: o que acompanhar nesta semana

Tudo que o investidor precisa saber antes de operar na semana

SÃO PAULO – Após uma semana marcada por grande volatilidade no mercado, puxada principalmente pela votação da PEC Emergencial no Senado. E este promete ser um dos principais drivers da Bolsa nos próximos dias.

Concluída a primeira etapa da votação da proposta, agora o texto será analisado pela Câmara dos Deputados. E o presidente da Casa, deputado Arthur Lira, anunciou na última quinta sua disposição de levar a proposta diretamente ao plenário da Câmara, pulando as etapas das comissões.

Com isso, a expectativa é que na terça-feira (9) ocorra a discussão e votação da admissibilidade da PEC, em substituição à CCJ, enquanto no dia seguinte deve acontecer a votação do mérito em dois turnos.

O texto destrava uma nova rodada de auxílio emergencial, que fica fora do teto de gastos ao limite de R$ 44 bilhões, e traz gatilhos que podem ser acionados quando a despesa obrigatória do governo atingir 95% da despesa primária total.

Saiu da redação final a proposta de alguns senadores de deixar também o Bolsa Família de fora das regras fiscais, algo que muito agradou os investidores, uma vez que havia temor de que o teto de gastos, a regra de ouro e a Lei de Responsabilidade Fiscal ficassem esvaziados diante de tantas excepcionalidades no Orçamento.

Calendário de indicadores

Na agenda dos próximos dias, os investidores terão dois dados importantes de inflação no Brasil, incluindo o índice oficial do País. Ainda nesta segunda (8) será divulgado o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), considerado um grande termômetro da inflação.

Já na quinta-feira (11), sai o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), em um momento importante, faltando uma semana para a decisão de juros do Comitê de Política Monetária (Copom). Diante da forte volatilidade e da disparada do dólar, o mercado já projeta que o Banco Central deva elevar a Selic no dia 17 e o resultado da inflação será importante para balizar essas projeções.

Ainda por aqui, destaque também para a temporada de resultados do quarto trimestre, que segue bastante agitada. Entre as empresas que divulgam seus balanços estão Magazine Luiza (MGLU3), Marfrig (MRFG3), BR Distribuidora (BRDT3), Raia Drogasil (RADL3), entre outras.

No exterior, na manhã de terça-feira (9) sairá uma bateria de indicadores importantes na zona do Euro, com destaque para os números de emprego e a revisão do Produto Interno Bruto (PIB) da região, cuja expectativa compilada pela Refinitiv com agentes do mercado é de queda de 5% no resultado anualizado.

PUBLICIDADE

Na noite do mesmo dia os holofotes se voltam para a China, que também apresenta diversos dados econômicos. Os principais deles serão os números de inflação do produtor (PPI) e ao consumidor (CPI).

Segundo as projeções compiladas pela Refinitiv, o PPI deve registrar recuo de alta de 1,5% no dado anualizado em fevereiro, contra avanço de 0,3% no mês anterior. Já o CPI deve recuar 0,4%, ante recuo de 0,3% apresentado em janeiro.

Nos Estados Unidos, enquanto o Congresso segue na análise do pacote de estímulos de US$ 1,9 trilhão, a agenda de indicadores fica mais esvaziada, com destaque principal para dados de emprego.

Será divulgado na quinta o relatório JOLTS, que mostra os números de abertura de novas vagas de trabalho nos EUA. Este é um documento bastante acompanhado pelos analistas para entender como está a dinâmica da maior economia do mundo, em especial no cenário da atual crise.

Para conferir a agenda completa de indicadores, clique aqui.

Estagnado em sua profissão? Série gratuita do InfoMoney mostra como você pode se tornar um Analista de Ações em 2021. Clique aqui para se inscrever.