Entenda

Paraguai quer tarifa de energia mais cara para mineradores de criptomoedas

No mês passado, o Paraguai aprovou um projeto de lei que regula a mineração e o comércio de criptomoedas no país

Por  CoinDesk -

A Administração Nacional de Eletricidade do Paraguai (ANDE) apresentou um projeto de decreto à equipe econômica do presidente Mario Abdo pedindo a cobrança de uma tarifa mais alta às empresas de mineração de criptomoedas.

O presidente da ANDE, Félix Sosa, também disse a uma estação de rádio local que pedirá a Abdo que vete parcialmente o projeto de lei recentemente aprovado que regula a mineração e o comércio de criptomoedas no país. Dentre os motivos, ele cita um teto – estipulado em apenas 15% acima da tarifa industrial – para a tarifa que pode ser cobrada dos mineradores.

“Nesse ponto acreditamos que [o teto] tem que responder a uma estrutura de custos para que seja viável a instalação do fornecimento de energia elétrica”, disse Sosa, acrescentando que quer que as mineradoras paguem suas tarifas antecipadamente em dólares, com reajuste anual na moeda norte-americana.

Leia mais:
Argentina combate mineração de criptos com energia até 400% mais cara

Na região do Alto Paraná, segundo Sosa, as conexões ilegais das mineradoras levaram a perdas de US$ 410 mil somente em julho, elevando as perdas para US$ 2,2 milhões nos primeiros sete meses do ano.

Segundo a ANDE, em alguns casos, as mineradoras pagavam entre 80 e 160 vezes menos do que o valor correspondente pelo seu consumo real de energia.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe