Entrevista à Folha

Para presidente da Mercedes, Brasil voltou 20 anos; “quem arrisca investir no País”?

"O País perdeu a previsibilidade com as mudanças nas premissas da política econômica. Voltamos uns 20 anos no tempo", afirmou Philipp Schiemer em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o presidente da Mercedes-Benz, Philipp Schiemer, traçou um cenário bastante negativo para o Brasil, não “medindo palavras” para falar de sua desilusão com o Brasil e com o governo de Dilma Rousseff. 

“O País perdeu a previsibilidade com as mudanças nas premissas da política econômica. Voltamos uns 20 anos no tempo”, afirmou, destacando que o PSDB vota contra as suas crenças e o PT também. “Você acha que alguém vai se arriscar a investir?”

Schiemer destaca que o País vive a sua pior crise dos últimos vinte anos. “Temos vários problemas”, destacou. Dentre eles, a queda do mercado, com menores vendas de caminhões em 44%. “Hoje, temos o pior cenário possível: volumes caindo preço estável e custos aumentando. Estou sendo espremido de todos os lados”, disse o presidente da montadora.

Aprenda a investir na bolsa

O Brasil é visto com mais desconfiança pelo empresário, mas que continua sendo importante, porque a Mercedes está nesse mercados há 60 anos. “Não sei onde enxergam essa crise, porque China, Estados Unidos e Alemanha não estão em crise. O que temos no Brasil é um problema caseiro. Reconhecer os próprios erros é o primeiro passo para encontrar uma saída”, afirmou. 

Sobre o ajuste fiscal, Schiemer afirmou que ele é necessário, mas afirmou que seria positivo se o governo reduzisse os custos da própria máquina, que diz ser muito ineficiente. “Ninguém precisa de 39 ministérios”, afirmou.