Inadimplência

Para JPMorgan, bancos podem ver inadimplência alçar voo – mas não há motivo para desespero

Os bancos brasileiros começam a sentir um pouco do que parece ser pior a recessão econômica do Brasil em mais de duas décadas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O banco JPMorgan soltou relatório hoje sobre o possível aumento das taxas de incumprimento dos empréstimos de empresas, vinculada ao escândalo da Petrobras (PETR3;PETR4). Segundo o relatório, os bancos brasileiros podem ver aumentar a inadimplência nos próximos meses frente as dívidas de fornecedores da Petrobras e de grupos de engenharia investigados por corrupção.

Olhando para o setor de infraestrutura, os empréstimos são de longo prazo, proporcionando tempo para negociações e, geralmente, apoiados por garantias que podem ser recuperados pelos credores, se for necessário. “Embora pareça contraditório, mantemos nossa visão de que esse aumento da inadimplência derivado tanto das investigações da Operação Lava Jato, quanto do ciclo econômico do Brasil, são administráveis”, escreveu a analista Natalia Corfield do JPMorgan.

Os comentários vêm como os principais bancos brasileiros começam a sentir um pouco do que parece ser pior a recessão econômica do Brasil em mais de duas décadas, graças ao impacto da Lava Jato e um declínio nos negócios e na confiança dos consumidores. O setor bancário do Brasil, como um todo tem sido há anos, está se preparando para uma deterioração da economia brasileira e “está em uma forma muito melhor nesta fase para enfrentar uma recessão do que foi em períodos anteriores de crise”, acrescentou Corfield.

Aprenda a investir na bolsa

A taxa de cobertura do sistema bancário, um medidor de reservas para empréstimos ruins, encerrou o ano passado em 170%, um nível que Corfield considera “confortável”.

(com Reuters)