Commodities

Para Itaú, demanda na China é insustentável e minério de ferro vai cair 32% este ano

Segundo os analistas, há sinais de que o crescimento da economia chinesa em 2016 foi maior do que o potencial e, portanto, não é sustentável

SÃO PAULO – O mercado tem vivido uma “lua de mel” com o minério de ferro. A commodity passa por um forte rali e atualmente opera em níveis acima de US$ 80, mas isto pode não durar por muito tempo. Esta projeção bastante pessimista é do Itaú Unibanco, que vê o minério saindo dos US$ 81,55 (fechamento desta quarta-feira) para US$ 55, ou seja, uma queda de 32,5%.

Os analistas do banco destacam que o índice ICI-Metais acumula alta de 7,4% desde o começo do ano, mesmo após o salto de 40% de 2016, puxado por surpresas tanto do lado da demanda quanto da oferta. “A demanda global foi maior do que o esperado, especialmente na China, onde o governo transferiu o foco para o curto prazo e acelerou setores que fazem uso intensivo dos metais”, explica o Itaú.

Apesar disso tudo, os analistas são enfáticos: “a demanda chinesa não é sustentável”. Segundo eles, há sinais de que o crescimento da economia em 2016 foi maior do que o potencial e, portanto, não é sustentável. “Entre os sinais estão a expansão excessiva do crédito (acima do ritmo do PIB nominal), a alta da inflação ex-alimentos e o avanço dos preços dos imóveis residenciais até setembro”, afirmam.

PUBLICIDADE

Diante de todos estes fatores, o Itaú lembra que o governo chinês foi forçado a agir no terceiro trimestre de 2016, o que “certamente criarão preocupações no segundo semestre de 2017, após a transição política ficar mais estabelecida”.

Mas não será apenas a China que irá derrubar os preços do minério de ferro. Segundo os analistas, haverá também um aumento na oferta em 2017, tanto dos grandes produtores quanto dos não tradicionais, em resposta ao cenário atual de preços altos, o que pressionara a commodity. E por conta disso, a expectativa é que o ICI-Metais caia 16,5% no ano, com recuo notável do preço do minério de ferro para US$ 55 por tonelada.