Para espantar crise aérea, setor turístico baixa preços e realiza promoções

Segundo o especialista Domingos Spezia, há casos em que a passagem aérea chega a custar menos do que a rodoviária

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Para retomar a confiança dos brasileiros e conquistar sua clientela de volta, as empresas do setor turístico estão realizando promoções e baixando os preços dos pacotes e passagens aéreas, que chegam a custar menos do que as rodoviárias, em alguns casos.

A afirmação é do pesquisador do Centro de Excelência em Turismo da UnB (Universidade de Brasília), professor Domingos Spezia, que está otimista em relação à recuperação do segmento neste fim de ano.

De acordo com levantamento realizado pela Abav (Associação Brasileira de Agências de Viagens) de 10 a 17 de setembro com 60 empresas de todo o País, 77% temem que a crise aérea prejudique a temporada de férias do final do ano.

Esforço

Para Spezia, as empresas também estão tomando outros cuidados para fazer com que as pessoas voltem a viajar de avião, como, por exemplo, a maior ocupação dos assentos, o que também possibilita queda nos preços.

Segundo o professor, os feriados deste fim de ano – 12 de outubro, quando tudo correu bem, e 2 e 15 de novembro – serão um prenúncio de como os consumidores se comportarão neste fim de ano.

“As promoções devem se intensificar, a menos que a demanda por pacotes e passagens aéreas aumente muito”, prevê.

Faturamento deve crescer

Ainda de acordo com a pesquisa da Abav, 80% das agências de viagens consultadas apontam o “apagão aéreo” como sendo a principal causa da queda nas vendas este ano.

Apesar disso, 52% dos entrevistados disseram que esperam fechar 2007 com alta no faturamento, em média, 20% maior do que no ano passado.

Turismo internacional

Por conta da valorização do real frente ao dólar, muitos brasileiros estão preferindo viajar para o exterior, em vez de optar pelos destinos nacionais. “Uma viagem para a Disney, por exemplo, está 30% mais barata do que há três anos”, afirma Spezia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para o turismo em geral, isto é ruim, já que as pessoas gastam seu dinheiro lá fora. Já para as companhias aéreas e agências de viagem, a tendência é favorável.

No entanto, conforme explica o pesquisador da UnB, a captação de eventos internacionais para o Brasil mais que triplicou nos últimos anos, o que favorece o segmento turístico brasileiro. Além disso, a inauguração de linhas internacionais e o aumento de vôos regulares e fretados também contribuem.

Compartilhe