Otimismo impulsiona bolsas norte-americanas

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

20:10h – 23/01
InfoMoney

SÂO PAULO – As bolsas norte-americanas fecharam em alta nessa terça-feira, com investidores retomando o otimismo de algumas semanas atrás na expectativa de que o FED reduza novamente a taxa básica de juros em sua próxima reunião. Praticamente todos os setores apresentaram bons desempenhos.

A fabricante de equipamentos de tecnologia Texas Instrument divulgou hoje lucro do quarto trimestre de 2000 abaixo da projeção de analistas, baixando também a estimativa de lucro para o primeiro trimestre do ano; as ações da empresa depencaram 7,34 %. No entanto, a notícia de uma parceria em publicidade e tecnologia entre Yahoo (+12,30%) e Compaq (+1,16%) deu ânimo ao setor de tecnologia.

O índice Dow Jones, que concentra as “blue chips” norte-americanas, fechou o dia com alta de 0,68%, cotado a 10.649,81 pontos. As maiores altas foram obtidas pelas ações da Intel (+5,99%), American Express (+3,33%), Boeing (+2,68%), Caterpillar (+1,83%) e Wal Mart (+1,55%). Por outro lado, os maiores destaques negativos foram Walt Disney (-3,61%), a farmacêutica Merck (-3,34%), rebaixada pela Merrill Lynch, GM (-2,46%) e AT&T (-1,32%).

Já o índice Nasdaq, composto por empresas do setor de tecnologia, valorizou-se 2,99%, fechando o dia a 2.840,39 pontos. Algumas ações responsáveis pela alta foram a empresa de saúde Pacificare (+34,0%), JDS (+6,90%), Apple (+6,49%) e Dell (+3,43%). Por outro lado, a Oracle (-1,03%), Adobe (-0,83%) e Worldcom (-0,60%) apresentaram quedas.

O S&P 500, que engloba as 500 maiores empresas norte-americanas, fechou em alta de 1,30%, a 1.360,40 pontos. Apresentaram bons desempenhos as ações da Nextel (+8,95%), Biogen (+8,23%), Merrill Lynch (+6,49%), Coca Cola (+2,13%) e Citigroup (+1,86%). Já a farmacêutica Amgem, que ontem sofreu grande desvalorização, subiu 0,18%. As principais quedas ficaram por conta de empresas como Baxter (-2,16%), McDonalds (-1,87%), Johnson&Johnson (-1,72%) e Pepsi (-1,43%).

Compartilhe