Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta terça-feira

Índices da China e de Hong Kong voltam a ter queda forte com temores regulatórios; temporada de resultados e mais destaques desta terça

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – A sessão desta terça-feira (27) é de baixa para as principais bolsas mundiais, com o destaque negativo voltando a ser para o Hang Seng, de Hong Kong, com queda de mais de 8% em dois pregões em meio a temores regulatórios, enquanto a bolsa de Shangai caiu mais de 2%.

Nos EUA, os investidores acompanham a temporada de resultados com a divulgação de números de gigantes como a Alphabet, dona do Google, Apple e Microsoft após o fechamento do pregão, às vésperas da decisão de política monetária do Federal Reserve. Na noite da véspera, foram divulgados os resultados da Tesla.

No Brasil, o noticiário corporativo também é movimentado com a repercussão dos resultados de TIM e EDP Brasil, enquanto depois do fechamento diversas companhias revelarão seus números do segundo trimestre, com atenção para CSN. Confira os destaques:

1.Bolsas mundiais

As bolsas asiáticas fecharam a terça (27) com desempenhos variados entre si, prejudicadas por temores regulatórios na China. Os índices futuros americanos e os europeus recuam.

O índice Hang Seng, de Hong Kong, caiu mais de 5% na tarde de terça antes de recompor parte dos ganhos, fechando em queda de 4,22%. Nos últimos dois dias, o índice recuou mais de 8% em meio a temores sobre a regulação dos setores de tecnologia e educação privada na China, que prejudicaram o sentimento dos investidores.

As ações da gigante de tecnologia Tencent recuaram 8,98%, enquanto que as da Alibaba caíram 6,35%, e as da Meituan, 17,66%.

Na segunda, o índice Hang Seng havia caído mais de 4%, após o regulador antitruste da China anunciar uma série de diretrizes para o setor de plataformas de entrega de comidas, que incluem pagar ao pessoal das entregas pelo menos o salário mínimo local. Esse movimento pode prejudicar os lucros de empresas como Meituan e Ele.me, do Alibaba.

A China também confirmou que tomará medidas drásticas para conter o boom da indústria de tutoria privada pós-escola do país. As restrições, publicadas no fim de semana pela mídia estatal, são o cerco regulatório mais recente a uma parte em rápido crescimento da economia chinesa.

No sábado (24) Pequim divulgou regras que forçariam os serviços de tutoria que ensinam disciplinas escolares aos alunos durante os anos obrigatórios a serem administrados como operações sem fins lucrativos. Além disso, as autoridades chinesas baniram esses serviços de levantamento de capital e propriedade estrangeira e proibiram aulas nos finais de semana e feriados públicos ou escolares.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por outro lado, dados divulgados na terça indicam que os lucros industrias na China subiram em junho 20% na comparação anual, uma desaceleração em relação à alta de 36,4% de maio.

Na China continental, o índice Shanghai caiu 2,49%, e o componente Shenzhen caiu 3,672%; no Japão, o Nikkei subiu 0,49%; na Coreia do Sul, o Kospi subiu 0,24%.

Na segunda-feira, as principais bolsas dos Estados Unidos fecharam em patamares elevados. O Dow subiu 0,24%, a 82,76 pontos; o S&P ganhou 0,24%, e o Nasdaq composto teve alta de 0,03%.

Nos Estados Unidos, as ações da Tesla subiram 1% no after market, após a divulgação de resultados acima do esperado para o segundo trimestre. A fabricante carros elétricos ultrapassou a marca de US$ 1 bilhão no lucro líquido trimestral pela primeira vez.

Nesta terça, a empresa dona do Google, Alphabet, além de Microsoft e Apple divulgam seus resultados após o fechamento, com perspectiva de resultados fortes. Outras empresas que devem divulgar os resultados nesta terça são JetBlue, UPS, General Electric e Starbucks.

Nesta terça, ainda terá início a reunião de dois dias de discussão de políticas pelo Federal Reserve. Investidores aguardam por informações sobre a política monetária do banco central americano.

O Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc na sigla em inglês) e a Junta dos Governadores do Fed devem divulgar uma declaração após o fim da reunião na quarta.

Na Europa, a maioria das bolsas tem quedas. Investidores continuam a monitorar a divulgação de resultados, além de eventos climáticos e a propagação da Covid no continente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, com destaque negativo para o setor automotivo. Todas as principais bolsas e setores operam no negativo.

No Reino Unido, Gerhan Vliege, do Banco da Inglaterra, afirmou que o banco central deve evitar reduzir o seu programa de estímulos por ao menos diversos trimestres, mesmo em meio a uma alta da inflação, que a instituição trata como temporária, e a continuidade da ameaça da Covid.

Na terça, a Dassault Systems divulgou suas previsões para 2021 por conta da alta das vendas de software. A empresa de itens de luxo, LVMH divulgou uma forte alta nas vendas no segundo trimestre, após o fechamento do mercado, em meio à redução de restrições contra o coronavírus. As ações sobem 0,9%.

Entre as outras empresas que divulgam resultados nesta terça estão Telecom Italia, Campari e FirstGroup.

Veja os principais indicadores às 7h30 (horário de Brasília):

Estados Unidos
*Dow Jones Futuro (EUA), -0,41%
*S&P 500 Futuro (EUA), -0,3%
*Nasdaq Futuro (EUA), -0,12%
Europa
*FTSE 100 (Reino Unido), -0,53%
*Dax (Alemanha), -0,59%
*CAC 40 (França), -0,4%
*FTSE MIB (Itália), -0,7%
Ásia
*Nikkei (Japão), +0,49% (fechado)
*Shanghai SE (China), -2,49% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), -4,22% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), +0,24% (fechado)
Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, +0,056, a US$ 71,95 o barril
*Petróleo Brent, +0,28%, a US$ 74,71 o barril
*Bitcoin, -1,93%, a US$ 37.491,55
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com queda de 1,75%, cotados a 1.109,5 iuanes, equivalente hoje a US$ 170,77 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,50

2. Agenda

Durante a manhã, a Fundação Getulio Vargas (FGV) divulga dados do  INCC-M de julho e de confiança no setor de construção.

Às 9h30, o Banco Central divulga dados sobre transações correntes e investimento estrangeiro direto no Brasil, relativos a junho.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nos EUA, às 9h30, serão divulgadas as encomendas de bens duráveis em junho. Às 11h o Fed de Richmond divulga seu índice de manufatura, e seu índice do setor de serviços, relativos a julho. Depois do fechamento, 17h30, serão revelados os dados preliminares de estoque de petróleo da semana até 23 de julho divulgados pelo API. Já o Fundo Monetário Internacional (FMI) divulga revisão de relatório de perspectiva global às 10h.

3. Covid no Brasil

Na segunda (26), a média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 1.101, queda de 13% em comparação com o patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia, foram registradas 587 mortes. As informações são do consórcio de veículos de imprensa que sistematiza dados sobre Covid coletados por secretarias de Saúde no Brasil, que divulgou, às 20h, o avanço da pandemia em 24 h.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 45.362, o que alta de 7% em relação ao patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 21.088 casos.

Chegou a 96.332.312 o número de pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid no Brasil, o equivalente a 45,49% da população. A segunda dose ou a vacina de dose única foi aplicada em 38.026.271 pessoas, ou 17,96% da população.

Nos últimos dias, capitais como Rio de Janeiro, Salvador, Florianópolis e Belém suspenderam a aplicação de primeiras doses de vacinas contra a Covid por falta de imunizantes, e apontaram para uma demora do Ministério da Saúde em distribuir as doses recebidas dos diferentes fornecedores.

Na segunda, a pasta informou que enviará 10,2 milhões de doses de vacinas ao longo dos próximos três dias para todos os Estados e o Distrito Federal, após ser cobrada por prefeitos e governadores a acelerar a distribuição.

“Ministério da Saúde tem 16 milhões de vacinas paradas em estoque e centenas de brasileiros morrendo diariamente por falta de vacinas. Vergonhosa essa falta de gestão e senso de urgência”, disse no Twitter o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Questionado pela agência internacional de notícias Reuters, o Ministério da Saúde não confirmou a alegação do governador.

Também na segunda, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, afirmou que o intervalo na aplicação das duas doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19 vai diminuir de três meses para 21 dias, conforme previsto na bula do imunizante.

Desde que começou a ser usada no país, no mês de maio, a vacina da Pfizer sempre teve prazo de 90 dias entre as duas doses, com base em eficácia apontada em um estudo realizado no Reino Unido, mas contrariando a bula do imunizante e adotando um intervalo igual ao da vacina AstraZeneca no país. O intervalo maior foi uma alternativa para ampliar a campanha de imunização mediante a escassez de doses.

Além disso, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, foi questionado na segunda-feira sobre estudo encomendado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para desobrigar o uso do equipamento de proteção individual em razão da Covid-19. O ministro respondeu que: “À medida que o número de óbitos diminui e a gente avança na campanha de vacinação, logo, logo não precisaremos mais de máscara”.

A fala ocorreu em conversa no Palácio do Planalto com jornalistas. No início do mês passado, Bolsonaro pediu um parecer a Queiroga para retirar a obrigatoriedade do uso de máscaras para pessoas que se vacinaram ou já tiveram Covid-19.

Posteriormente, em razão das críticas à adoção da medida, mesmo com o elevado número de casos e mortes por Covid, o presidente recuou parcialmente e disse que a decisão final seria do ministro e, finalmente, dos governadores.

O parecer do ministério em discussão não poderia, no entanto, se sobrepor a uma lei aprovada no ano passado pelo Congresso e que exige o uso de máscaras em locais fechados. Também não poderia se sobrepor a regras estaduais e municipais sobre o tema, já que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que os governos locais têm o poder de decidir sobre medidas de contenção da pandemia.

Além disso, na segunda a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) cancelou em definitivo a realização de estudos clínicos no país da vacina indiana contra Covid-19 Covaxin, depois que o laboratório responsável pelo imunizante, Bharat Biotech, rompeu os laços com seu representante no Brasil, a Precisa Medicamentos. Os estudos já haviam sido suspendidos na sexta.

As negociações para compra da Covaxin pelo Ministério da Saúde tornaram-se alvo da CPI da Covid no Senado, por suspeitas de irregularidades, o que levou a pasta a suspender o contrato para compra do imunizante, após o empenho orçamentário de R$ 1,6 bilhão para pagar pelo fornecimento das doses da vacina.

A Bharat Biotech afirma ter oferecido a vacina Covaxin diretamente ao governo brasileiro a US$ 15 por dose, que seria o menor valor de venda internacional praticado pelo laboratório, e afirmou não ter envolvimento com os problemas da Precisa no Brasil.

4. Fundo eleitoral e reforma ministerial

Em fala a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada na segunda, o presidente Jair Bolsonaro reafirmou que irá vetar o fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões aprovado na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), mas que irá manter parte do valor.
“Deixar claro uma coisa: vai ser vetado o excesso do que a lei garante. A lei… quase R$ 4 bilhões o fundo. O extra de R$ 2 bilhões vai ser vetado. Se eu vetar o que está na lei eu estou incurso no crime de responsabilidade. Espero não começar a apanhar do pessoal aí como sempre”, disse Bolsonaro.

Na verdade, Bolsonaro não pode vetar apenas parcialmente o valor previsto na LDO. Pode ou sancionar integralmente ou vetar integralmente a previsão. Uma alternativa que o governo estuda é um acordo para vetar toda a previsão aprovada pelo Congresso agora, e recompor os valores ao enviar o projeto do Orçamento para 2022, em agosto.

Reportagem publicada nesta terça pelo jornal Valor Econômico ressalta que, mesmo reduzido, o valor sugerido por Bolsonaro é 81% maior que o das eleições municipais de 2020, e 135% superior ao das eleições gerais de 2018. Ele se aproxima do patamar de R$ 4,9 bilhões de 2014, as últimas eleições com financiamento do setor privado.

Em 2019, diante também da onda de críticas ao fundo de R$ 2 bilhões para as eleições municipais, Bolsonaro também sinalizou que iria vetar a previsão. Na última hora, no entanto, voltou atrás e a sancionou, alegando que poderia incorrer em crime de responsabilidade e alvo de impeachment.

Além disso, em uma entrevista a uma rádio da Paraíba, o presidente Jair Bolsonaro afirmou na segunda-feira haver uma “possibilidade” de o presidente do PP e senador, Ciro Nogueira (PI), assumir o comando da Casa Civil, após ter confirmado a escolha de uma das principais lideranças do centrão para o cargo na semana passada. Na semana passada, Bolsonaro havia confirmado que Nogueira tinha aceitado seu convite e deveria assumir a Casa Civil. O presidente e o senador devem se reunir nesta terça-feira para decidirem a indicação.

Na entrevista, o presidente defendeu a eventual escolha do presidente do PP, mesmo o senador sendo alvo de investigações criminais e a escolha dele quebrando a promessa de campanha de só nomear para o primeiro escalão quadros técnicos.

“Os ministérios mais importantes continuam por critério técnico. Tem uma possibilidade agora de o Ciro Nogueira assumir o Ministério da Casa Civil, a Casa Civil não tem orçamento em suas mãos, faz a articulação com o Parlamento e nós entendemos que um político no caso um senador poderia fazer melhor essa articulação com o Parlamento, por isso essa aproximação com o Ciro Nogueira”, disse Bolsonaro.

O presidente destacou que se Ciro ou qualquer outro ministro for julgado e condenado, será afastado do governo, mas ressalvou que “no momento é o que tenho aqui em Brasília” para governar. “Se eu afastar do meu convívio parlamentares que são réus ou recebem inquéritos, eu perco quase metade do Parlamento”, disse ele.

Em entrevista uma rádio do Paraná na semana passada, o presidente confirmou que as mudanças ministeriais aconteceriam nesta semana e incluiriam, além da nomeação de Nogueira para a Casa Civil, a mudança do general Luiz Eduardo Ramos para a Secretaria-Geral da Presidência. O atual ministro da pasta, Onyx Lorenzoni, deve ser deslocado para um novo ministério do Emprego e Previdência, a ser criado a partir do desmembramento do Ministério da Economia.

Na entrevista de segunda à rádio paraibana, o presidente também comentou sua relação com o vice-presidente, general Hamilton Mourão. Ele afirmou que a escolha do vice foi muito em cima da hora, e o comparou com um “cunhado” que precisa ser aturado.

“O Mourão faz o teu trabalho. Ele tem uma independência muito grande, por vezes atrapalha um pouco a gente, mas o vice é igual cunhado: você casa e tem que aturar o cunhado do teu lado. Você não pode mandar o cunhado ir embora. Então, estamos com o Mourão sem grandes problemas, mas o cargo dele é muito importante para agregar. Dele, não, o cargo de vice é muito importante para agregar simpatias”, disse Bolsonaro.

Mourão tem feito críticas e reparos à gestão de Bolsonaro, e já se queixou publicamente de não ser chamado a participar de importantes decisões de governo.

5. Radar corporativo

As ações da Unifique, que oferece serviços de banda larga por meio de fibra óptica, estreiam nesta terça com o ticker FIQE3. A companhia precificou os papéis a R$ 8,60 em oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês).

A temporada de resultados continua, com a divulgação dos resultados de TIM e de EDP Brasil. A operadora de telecomunicações TIM registrou lucro líquido normalizado de R$ 681 milhões no segundo trimestre deste ano, aumento de 154,7% sobre igual período de 2020. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) normalizado somou R$ 2,101 bilhões, alta de 5,9% na mesma base de comparação.

Já a EDP Brasil reportou lucro líquido de R$ 344 milhões no segundo trimestre do ano, alta de 45,2% em relação ao mesmo período do ano passado. No acumulado do primeiro semestre, o lucro da empresa cresceu 65,3% em base anual de comparação, para R$ 840 milhões.

Carrefour Brasil, Vamos Locação, CSN, Unidas, CSN Mineração, Assaí e Vivo informam resultados trimestrais nesta terça-feira.

O Magazine Luiza anunciou na segunda-feira que concluiu a compra da plataforma de entregas por meio de motocicletas Sode. Criada em 2015, a Sode tem operações em 8 Estados e possui mais de mil entregadores ativos. A plataforma já prestava serviços para o Magazine Luiza, fazendo entregas em até uma hora a partir de lojas da varejista.

“Com a aquisição, o Magalu irá acelerar a expansão da entrega ultrarrápida para a maioria de suas lojas”, afirmou a varejista em comunicado. Em breve a Sode fará entregas também para os vendededores do marketplace do Magazine Luiza e para restaurantes da aplicativo de entrega de refeições AiQFome.

Já a Dexco, ex-Duratex, anunciou na segunda-feira que, após decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins, reconhecerá um impacto positivo de R$ 659,3 milhões em seu balanço do segundo trimestre. “Importante mencionar que ainda não houve trânsito em julgado das medidas judiciais da Duratex e que essas ações abrangem o período de 2001 a 2018, tendo sido reconhecido contabilmente o período da documentação eletrônica (2010 a 2018)”, afirmou a companhia em fato relevante.

A elétrica Engie Brasil Energia registrou no último dia 22 uma máxima recorde de geração de energia eólica, ao atingir 1.105,19 megawatts (MW) em uma média de cinco minutos, em momento em que a companhia busca ampliar o fator de capacidade e sua participação no segmento. Com isso, disse a empresa, foram registrados sucessivos recordes de geração eólica desde maio.

A concessionária de ferrovias Rumo abre nesta terça-feira a operação de seu terminal ferroviário em Rio Verde (GO), a maior unidade da Malha Oeste, com capacidade de operação de 11 milhões de toneladas grãos e farelo de soja por ano, para atender Goiás e o leste do Mato Grosso. O terminal, ligado por um trecho de quase 200 quilômetros de trilhos até São Simão (GO), escoará produção da maior região do agronegócio do país até o Porto de Santos (SP), levando fertilizantes no retorno.

No radar da Petrobras, o presidente da companhia, general da reserva Joaquim Silva e Luna, realizou reunião com analistas. De acordo com relatório do Goldman, Silva e Luna afirmou que a estatal permanece focada em venda de ativos e desalavancagem, em busca de cumprir cronograma acertado com o Cade.

Segundo o banco, Luna reiterou seu compromisso de reduzir a dívida bruta para abaixo de US$ 60 bilhões, sem mencionar prazos, o que desencadearia o pagamento de dividendos significativamente acima dos períodos recentes. Em maio, executivos da empresa haviam mantido meta de reduzir a dívida bruta da companhia para US$ 67 bilhões em 2021 e 60 US$ bilhões em 2022.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos é possível. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.

Compartilhe