Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta terça-feira

Rali das bolsas se estende com sinais de retomada da economia global e esperança com vacina; IPCA-15 e mais destaques

mercado bolsa índices alta ações gráfico
(Getty)
Aprenda a investir na bolsa

Os sinais de reabertura de alguns países e a expectativa com o surgimento de uma vacina para o novo coronavírus dão o tom positivo dos mercados nesta terça-feira. Os investidores repercutem o anúncio de que a americana Novavax deu início a estudos em humanos de uma vacina experimental contra a doença que já atingiu mais de 5,6 milhões de pessoas no mundo e causou 348 mil mortes.

No Brasil, a crise provocada pela pandemia começa a ficar ainda mais visível. A companhia aérea Latam pediu recuperação judicial nos EUA para lidar com a praticamente paralisação do setor. Argentina, Brasil e Paraguai não estão incluídos no processo de reorganização.

Os balanços das companhias brasileiras também mostram os efeitos econômicos da pandemia do coronavírus, mas revelam que as empresas mais adiantadas no processo de transformação digital conseguiram compensar parte das perdas causadas pelo isolamento social. No caso do Magazine Luiza, o comércio eletrônico atingiu 53,3% das vendas totais no primeiro trimestre do ano.

1. Bolsas mundiais

Aprenda a investir na bolsa

Os futuros de Nova York e as Bolsas europeias operam em alta com os investidores otimistas com a possibilidade de surgimento de uma vacina contra a Covid-19 e as medidas de relaxamento do isolamento social adotadas em diversos países.

Na segunda-feira à noite, a empresa americana de biotecnologia Novavax anunciou que iniciou o primeiro estudo em humanos de uma vacina experimental.

Os futuros do Dow Jones sobem 2,02% e os do S&P 500 registram variação positiva de 1,85%.

A continuidade desse movimento de valorização, no entanto, depende da redução das incertezas no curto prazo. “No próximo mês, conheceremos os resultados dos testes de estresse dos bancos; se os preços do petróleo cairão ou vão se sustentar; e se estaremos saindo da Covid ou entrando em uma segunda onda”, disse, à CNBC, Christopher Harvey, chefe de estratégia de ações da Wells Fargo.

O otimismo, no entanto, não retira do radar os investidores a situação de tensão entre Washington e Pequim, após a China propor uma nova lei de segurança nacional em Hong Kong.

O país asiático condenou os EUA por adicionar 33 entidades chinesas a uma lista negra de comércio, mas sem anunciar nenhuma medida de retaliação; enquanto isso, Pequim tentou tranquilizar Hong Kong ao indicar que seu judiciário permaneceria independente mesmo sob uma nova lei de segurança nacional.

PUBLICIDADE

Já na Europa, a atenção está na reabertura das economias da região e também na possibilidade de mais estímulos, o que também contribuiu para o maior apetite por risco.

Nos mercados asiáticos, os principais índices fecharam em terreno positivo. O Japão anunciou, na segunda-feira, a saída do estado de emergência devido ao novo coronavírus.

Veja o desempenho dos mercados, às 7h22 (horário de Brasília):

Nova York

*S&P 500 Futuro (EUA), +1,85%

*Nasdaq Futuro (EUA), +1,79%

*Dow Jones Futuro (EUA), +2,02%

Europa

PUBLICIDADE

*Dax (Alemanha), +0,66%

*FTSE 100 (Reino Unido), +1,45%

*CAC 40 (França), +1,38%

*FTSE MIB (Itália), +1,37%

Ásia

*Nikkei 225 (Japão), +2,55% (fechado)

*Hang Seng Index (Hong Kong), +1,88% (fechado)

*Shanghai SE (China), +1,01% (fechado)

PUBLICIDADE

*Petróleo WTI, +2,47%, a US$ 34,07 o barril

*Petróleo Brent, +1,55%, a US$ 36,08 o barril

**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em queda de 2,99%, cotados a 698.500 iuanes, equivalente hoje a US$ 97,96 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 7,1306 (-0,09%)

2. Vacina para a Covid-19

A americana Novavax informou, na noite de segunda-feira, o início dos estudos em humanos de sua vacina experimental contra a Covid-10. A previsão é que a primeira fase de testes fique pronta em julho.

Embora existam outras tentativas em curso, a notícia deu um tom mais positivo aos negócios, no momento em que o coronavírus já contagiou 5,6 milhões de pessoas e causou 348 mil óbitos.

No Brasil, já há mais de 376 mil casos da doença confirmados e 23.522 mortes.

3. Indicadores econômicos

O Banco Central vai divulgar, às 9h30 (horário de Brasília), os dados sobre o balanço da conta corrente do Brasil e do investimento estrangeiro direto.

Pouco antes, às 9h, será divulgado o IPCA-15 referente ao mês de maio. A inflação medida pelo IPCA-15 deve ter tido queda de 0,47% em maio na comparação mensal, segundo estimativa mediana em pesquisa Bloomberg, depois de ter ficado praticamente estável (-0,01%) na medição anterior. A estimativa anual é de alta de 2,07%, ante os 2,92% da medição anterior.

Já nos Estados Unidos está previsto para as 11h a publicação dos dados sobre Confiança do Consumidor nos Estados Unidos e as vendas de casas novas no mês de abril.

4. Concessões

O ministro da Infraestrutura, Tarcisio Freitas, acredita no sucesso dos leilões de concessão dos aeroportos brasileiros mesmo com a pandemia do coronavírus. A expectativa é fazer o leilão de 22 aeroportos em março do ano que vem e de outros 21 em 2022.

Em transmissão pela internet promovida pelo Santander Brasil, na segunda-feira, o ministro ainda sinalizou as esferas decisórias no âmbito federal estão unidas para que o programa de desestatização avance.

Já a expectativa para o leilão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), na Bahia, é que ocorra no final do ano.

5. Noticiário corporativo

A companhia aérea Latam pediu recuperação judicial no Brasil, Chile e Estados Unidos. Ao pedir proteção em território americano (Chapter 11, a lei de falências dos EUA), a companhia teria mais chances de negociar contratos de arrendamento de aeronaves.

A empresa, que não tem capital aberto no Brasil, está com dificuldade em acessar os recursos do socorro ofertado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do qual Gol e Azul devem participar.

Dentro da temporada de balanços, O Magazine Luiza registrou um lucro líquido de R$ 30,8 milhões no primeiro trimestre do ano, uma queda de 76,7% na comparação com igual período de 2019. As receitas líquidas totalizaram R$ 5,234 bilhões alta de 20,9%.

Apesar da queda do lucro, a empresa mostrou avanço no comércio eletrônico. O e-commerce passou de 41,4% do total das vendas no primeiro trimestre de 2019 para 53,3% nos primeiro três meses de 2020.

Já a Marcopolo apresentou no primeiro trimestre de 2020 um lucro líquido de R$ 10,7 milhões, uma queda de 60% na comparação com igual período de 2019.

Por fim, a Vale anunciou, na segunda-feira à noite, que está negociando a venda de sua participação na Vale Nouvelle-Calédonie de forma exclusiva com a australiana New Century Resources.

Segundo comunicado à CVM, as negociações incluem um pacote financeiro para dar suporte a continuidade das operações da Vale Nouvelle-Calédonie.

Já o Conselho de Administração da JHSF aprovou a aquisição, por R$ 3 milhões, da Casa Fasano, que oferece serviços de buffet em todo o território nacional.

Como ler o mercado financeiro e aproveitar as oportunidades: conheça o curso A Grande Tacada, do Fernando Góes – de graça nos próximos dias!

(Com Bloomberg)