Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta terça-feira

Principais mercados mundiais ensaiam leve alta com investidores relevando o temor de escalada da tensão no Oriente Médio

arrow_forwardMais sobre
(Shutterstock)
Aprenda a investir na bolsa

Os futuros de Nova York ficam em terreno positivo nesta terça-feira, enquanto o preço do petróleo tem leve recuo. Os investidores relevam os temores de uma escalada da tensão no Oriente Médio e os investidores estão de olho nos indicadores que serão publicados mais tarde nos EUA. No noticiário corporativo, destaque para a aliança entre Caixa e Tokio Marine e para o apoio que a construtora MRV recebe para a reunião de acionistas no fim do mês.

1. Bolsas mundiais

Os futuros de Nova York têm um modesto avanço na manhã de hoje (7). A redução dos temores de uma guerra que parecia iminente entre os Estados Unidos e o Irã, somada a fortes resultados das empresas de tecnologia ontem na Nasdaq, alteraram o ânimo dos mercados.

O Irã diz que avalia cenários e que sua retaliação será ‘pesadelo histórico’ para os EUA; a notícia chegou a gerar oscilação, mas não reverteu a alta dos índices acionários.

Aprenda a investir na bolsa

O mercado nos EUA aguarda a publicação da balança comercial de novembro e do índice de compras do setor de serviços pelo ISM. Na Ásia, as bolsas fecharam em alta, refletindo a recuperação de ontem em Wall Street, enquanto na Europa as bolsas, particularmente castigadas ontem, estão em terreno positivo. Preço do petróleo tem leve queda.

Veja o desempenho dos mercados, às 7h30 (horário de Brasília):

Nova York
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,14%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,32%
*Dow Jones Futuro (EUA), +0,12%

Europa
*Dax (Alemanha) , +0,97%
*FTSE (Reino Unido), +0,10%
*CAC 40 (França), +0,62%
*FTSE MIB (Itália), +0,78%

Ásia
*Hang Seng (Hong Kong), +0,34% (fechado)
*Xangai (China), +0,69% (fechado)
*Nikkei (Japão), +1,60% (fechado)

*Petróleo WTI, -0,35%, a US$ 63,05 o barril
*Petróleo Brent, -0,41%, a US$ 68,63 o barril

PUBLICIDADE

**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em alta de +0,30%, cotados a 666,500 iuanes, equivalentes a US$ 96,109 (nas últimas 24 horas). USD/CNY= 6,9344 (+0,59%)
*Bitcoin, US$ 7.877,29 -0,25%

2. Indicadores econômicos

No Brasil, a FGV divulga na manhã de terça-feira dois índices relacionados ao mercado de trabalho: o IAEmp (Índice Antecedente de emprego) e o ICD (Indicar Coincidente de Desemprego). A leitura é de dezembro de 2019. Nos Estados Unidos, o ISM divulga seu indicador relativo aos serviços de dezembro (não-manufatura). Mais tarde, o governo americano divulga a balança comercial de novembro. Economistas projetam déficit ao redor de US$ 43,6 bilhões, superior a outubro (US$ 42,7 bilhões).

3. Política

A Chancelaria do Irã convocou o embaixador brasileiro em Teerã no domingo (5) para pedir explicações sobre a posição do Brasil em relação ao assassinato do general Qassem Soleimani, morto por um drone dos Estados Unidos na semana passada, informa o jornal O Globo na sua edição de hoje (7). Como reação ao episódio, o Itamaraty divulgou uma nota praticamente respaldando a ação ordenada pelo presidente dos EUA, Donald Trump.

4. Infraestrutura

Com pouco ou sem dinheiro no caixa para investimentos, os governadores de 13 Estados, entre eles São Paulo, pretendem privatizar ou conceder à iniciativa privada pelo menos 100 projetos de infraestrutura, indica reportagem de capa do jornal O Estado de S. Paulo. Na quarta-feira (8) o governo paulista fará o leilão de concessão na B3 de 1,2 mil quilômetros da rodovia entre Piracicaba e Panorama. O vencedor se comprometerá a investir R$ 14 bilhões durante os 30 anos em que explorar a rodovia estadual. Outro projeto que poderá sair do papel é o “Trem Intercidades”, prometido há vários anos, entre a capital paulista, Campinas e Americana.

5. Noticiário corporativo 

A Caixa Seguridade Participações e a seguradora Tokio Marine assinaram ontem acordo para criar uma nova empresa que atuará em seguros habitacionais e residenciais. A Tokio Marine fará aporte de R$ 1,5 bilhão na joint-venture e terá o controle da companhia, com 50,01% das ações ordinárias.

Já a incorporadora e construtora MRV comunicou que recebeu um importante apoio de uma das acionistas, a Dynamo do Rio de Janeiro, para aprovar no próximo dia 31 um dos planos da empresa, a aquisição da empresa imobiliária americana AHS Residential.

Através desta companhia, a MRV pretende explorar o mercado de aluguéis residenciais nos Estados Unidos.

Sobre a Petrobras, o Ministério de Minas e Energia afirmou que o governo prepara medidas para compensar preços dos combustíveis. “Estamos analisando mecanismos compensatórios, mas que não frustrem expectativa de receita”, afirmou ministro Bento Albuquerque.  O presidente Jair Bolsonaro voltou a destacar que Brasil adota o livre mercado e não vai mexer na política de preços.

PUBLICIDADE

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos